Siga-nos

Perfil

Expresso

As beatas higienistas

  • 333

As “imagens chocantes” maços de tabaco estão, na realidade algures entre o primarismo da ilustração de revistas de igrejas evangélicas e a pornografia. São puro e simples mau gosto. O que devia ser uma campanha de informação rigorosa transformou-se numa exibição de sensacionalismo histérico. Porque a defesa da saúde pública foi tomada pelo insuportável fanatismo de quem acha que deve converter os outros ao estilo de vida que escolheu para si. A mim, que deixei o tabaco com tanto sacrifício, estas estúpidas fotos só me dão vontade de pegar num cigarro, fumar a vida até ao fim, e dizer: morram para aí cheias de saúde, suas beatas higienistas

Deixei de fumar há mais de dois anos. Foi uma decisão difícil, tomada conscientemente e com base em informação séria, sóbria, racional e comprovada. Sou um adulto dotado de inteligência e que é capaz de tomar as suas decisões. E detesto ser tratado como se fosse menos do que isto. Um Estado que não respeita os cidadãos não merece ser respeitado pelos cidadãos.

Foi lançada mais uma campanha contra o tabaco, a única droga legal que parece merecer atenção (obsessão, mesmo) do Estado. Nada contra. Cabe as autoridades públicas de saúde fornecer aos cidadãos toda a informação necessária e tentá-los convencer, com argumentos razoáveis, a ter uma vida saudável. Porque cabe ao Estado dar a todos os instrumentos necessários para fazerem as suas escolhas.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Fumar é mais feio

    Se tentar comprar um maço de cigarros a partir desta sexta-feira, é capaz de se sentir tentado a desviar o olhar. As novas embalagens não se limitam aos avisos clássicos sobre os perigos do tabaco e recorrem a imagens explícitas para mostrar tumores pulmonares ou caixões de crianças. O objetivo é “gerar medo”, mas os especialistas garantem que as medidas adotadas em Portugal ainda ficam “aquém do desejável”

  • Preço do tabaco aumenta a 1 de julho

    O aumento do Imposto sobre o Tabaco deverá resultar num aumento médio de um maço de cigarros de cerca de sete cêntimos, segundo cálculos efetuados pela consultora PricewaterhouseCoopers