Siga-nos

Perfil

Expresso

O apoio do PS a Passos e Portas é mais coerente e estável?

  • 333

A alternativa a um governo de Costa apoiado pela esquerda é um governo de Passos e Portas apoiado pelo PS. Diz-se que a solução do governo suportado pela esquerda é instável e politicamente incoerente. Quem o diz tem de mostrar que a alternativa é mais estável e mais coerente. Como Assis não defender que o PS assine um acordo com Passos Coelho, que seria a violação flagrante de uma promessa eleitoral, propõe um apoio à vista. Terá de explicar como é que um governo minoritário sem acordo algum dá mais garantias de estabilidade do que um acordo parlamentar escrito. Quanto à coerência, sabemos que as cedências que Costa está a fazer ao PCP e ao Bloco – aumento do salário mínimo, descongelamento das reformas, manutenção da contratação coletiva – não vão contra o ADN do PS. Se o que o PS andou a dizer sobre este governo é sincero, Passos teria de alterar quase tudo o que fez para ter o apoio dos socialistas. A não ser que Assis ache que o PS também não deve apoiar Passos e que o País pode ficar sem governo. Mas essa injustiça não lhe faço

Todas as análises sobre as virtudes e defeitos de um governo do PS com base num acordo parlamentar que lhe garanta uma maioria estável são feitas olhando para esta solução isoladamente. Ou seja, como se a alternativa a isso fosse indiferente. Compreendo o exercício: ele permite destruir uma alternativa sem ter de discutir a outra. Mesmo Francisco Assis recorre a um truque para fugir a este debate. Como alternativa a governar com o apoio da esquerda propõe que o PS esteja na oposição. A aritmética eleitoral não permite ao PS essa possibilidade.

Pedro Passos Coelho só pode governar com o apoio do Partido Socialista. O que quer dizer que a escolha não é entre um governo PS apoiado pela esquerda e um governo de direita com o PS na oposição. A escolha é entre um governo de Costa apoiado pela esquerda e um governo de Passos e Portas apoiado pelo PS. Assis não o diz porque isso o obrigaria a defender, junto do eleitorado socialista, que Passos Coelho com apoio do PS é melhor do que António Costa com o apoio do BE e do PCP. Difícil de vender.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI