Siga-nos

Perfil

Expresso

Saída de Varoufakis: uma alteração tática?

  • 333

FOTO EVICH IGOR/REUTERS/GETTY

Não devemos desprezar Yanis Varoufakis. Para além de um académico brilhante, que deixa a léguas grande parte dos seus homólogos europeus, foi, de longe, o deputado mais votado e, pelo menos no início deste governo, era muitíssimo popular na Grécia

Falava-se da sua demissão no caso de uma vitória do "sim", tendo em conta a sua posição muitíssimo clara sobre qualquer acordo que não incluísse, desde já, uma renegociação da dívida. Perante a vitóia do "não", esta saída apanhou, mesmo dentro do Syriza, muita gente desprevenida. 

Ontem, Varoufakis terá feito, de novo, algumas declarações provocatórias para o Eurogrupo. Nada que seja falso: que as posições dominantes no eurogrupo são, do ponto de vista científico, totalmente absurdas. Mas a arrogância explícita não costuma ser uma boa arma negocial. E isso pode ter ditado um pedido do governo para que se sacrificasse e desse o lugar a outro. Varoufakis é detestado no Eurogrupo e a Grécia precisa, nos próximos dias, de dar passos positivos na negociação.

Os dois nomes de que se fala aqui, e que não sei se serão mesmo as duas únicas possibilidades, são Eucleides Tsakalotos, um dos principais responsáveis pela negaciação, do lado grego, mais ligado à vida interna do Syriza, mas, apesar de ter um estilo mais conciliatório, tem uma posição política mais à esquerda e menos disponível para cedências do que Varoufakis; e Giorgos Stathakis, ministro da Economia que, pelo contrário, tem com uma posição menos firme do que Varoufakis.

Assim, não estou seguro que a demissão de Varoufakis tenha um significado estratégico. Parece-me que tem muito mais a ver com táctica. Mas só a escolha do seu substituto o dirá. 

  • Varoufakis demite-se para facilitar as negociações

    A saída de Yannis Varoufakis, poucas horas depois de uma vitória inequívoca no referendo, é absolutamente surpreendente. Mas parece ter como objetivo facilitar as negociações com o Eurogrupo, onde o ministro estava mal visto

  • Yanis Varoufakis, o marxista "errático"

    O ministro das Finanças grego, que hoje pediu a demissão apesar da vitória do "Não" no referendo, atingiu o estrelato e a infâmia este ano, com um estilo urbano descontraído e com os abrasivos ataques contra a austeridade. 

  • À espera do substituto de Varoufakis

    Ainda não é claro quem substitui o emblemático ministro das Finanças grego, mas poderá ser Euclid Tsakalotos, coordenador da equipa de negociadores gregos

  • A linha de pensamento de Varoufakis

    Um dia após a vitória do "não" no referendo, Yanis Varoufakis renunciou esta segunda-feira à pasta das Finanças. O professor foi entrevistado recentemente pelo  Expresso