Siga-nos

Perfil

Expresso

Entre o medo e o cansaço

  • 333

O desespero do “não” tem esperança numa mudança sem rumo certo, o medo do “sim” escolhe não ter esperança e aceitar o que se conhece. Se se tratasse da vontade pura e simples, o “não” ganharia sem dificuldade. Sobretudo se abstenção for baixa. Mas cada dia que passa, quanto mais crescem as filas nas caixas multibando, quanto mais os canais de televisão privados pressionam, quanto mais a oligarquia grega se mobiliza, mais essa vitória se torna improvável. O cerco europeu à Grécia está, lentamente, a produzir resultados. Apenas uma enorme dose de teimosia e cansaço por cinco anos de tragédia lhe podem resistir. Se conseguirem, será um feito.

Nas ruas de Atenas há duas campanhas. A do “não” vê-se em cartazes, distribuições de folhetos, manifestações mais ou menos espontâneas, sobretudo de jovens, todos os dias. A do “sim”, tirando alguns painéis de publicidade pagos pela Nova Democracia e o PASOK e a manifestação de terça-feira, não dá a cara fora de portas. E não precisa. Tem as filas nas caixas multibanco a fazer o trabalho quase todo.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI