Siga-nos

Perfil

Expresso

A lua está a afastar-se da terra!

Por cada ano que passa a lua fica cerca de 3,78 centímetros mais longe da terra! Embora normalmente se assuma que a lua roda em torno da terra ao longo de uma elipse, na verdade é mais uma espiral. Sabemos isso graças a uma série de refletores deixados na lua ao longo de várias missões espaciais.

Esta semana vamos falar sobre a geometria dos refletores. É ver!

Provavelmente já lhe aconteceu ir na auto estrada e achar que os refletores na estrada têm luz própria. Na verdade, não têm, a prova disso é que se desligar as luzes do seu carro, os pontos luminosos na estrada também se ‘apagam’. De facto, são refletores extremamente eficientes a reenviar na sua direção a luz do seu carro. Há dois grandes tipos de refletores: os refletores baseados num canto, com superfícies perpendiculares, que falámos no vídeo - que podemos ver nos refletores de bicicletas e carros - e os chamados cat’s eyes, frequentemente usados nas estradas. A geometria dos cat’s eyes pode ser vista na imagem abaixo. A ideia é diferente dos refletores de canto, mas tem o mesmo efeito: reenviar de volta, na mesma direção, um raio de luz.

Os refletores deixados na lua são do tipo dos refletores de canto. Geometricamente são muito parecidos com um refletor de uma bicicleta, mas têm os cantinhos maiores. Por exemplo na foto abaixo podemos ver o refletor deixado pela Apolo 14, que é feito de 100 cantinhos, de 3,8 centímetros cada, dispostos

numa grelha de 10 por 10. Já agora... na mesma foto e mais atrás: aquilo não é um saco plástico?

Neste momento há cinco refletores na lua, cuja localização pode ser vista na imagem à direita. Três deles foram deixados pelos Estados Unidos nas missões Appollo 11, 12 e 13, os outros dois foram deixados pela União Soviética nas missões Luna 17 e 21.

Se é um fã da série The big bang theory, então pode recordar AQUI o momento em que os quatro cientistas tentam enviar um raio laser na direção de um destes refletores; hilariante, como sempre. Curiosamente, de todas as experiências associadas a estas missões, esta é provavelmente a única que continua ativa: estes refletores continuam a ser regularmente usados para fazer experiências. Em particular são usados para medir com uma grande precisão a distância da terra à lua: atualmente é possível medir a distância da terra à lua – cerca de 385 000 quilómetros - com uma precisão de alguns milímetros! É dessa forma que sabemos hoje que a lua se está a afastar, devagar é certo, mas cada vez está mais longe de nós, 3,78 centímetros mais longe por cada ano que passa. Segundo os especialistas, a causa deste afastamento deve-se à dissipação de energia causada pelas marés. Este tipo de dados permite ainda entender melhor a composição interna da terra e da lua, assim como estudar a força gravítica.

Sempre me pareceu fascinante como, embora à primeira vista toda esta atividade de exploração espacial seja envolta em alta tecnologia, muitas vezes os aparelhos e soluções encontradas são muito terra-a-terra: neste caso um pequeno canto refletor.

Agradeço a Nadine Klenk que me chamou a atenção para a experiência no The Big Bang Theory.

O programa Isto é matemática tem o apoio da Fundação Vodafone Portugal. Se perdeu algum dos episódios das nossas primeiras temporadas, ou simplesmente para recordar, espreite e subscreva os nossos canais Youtube e Facebook.