Siga-nos

Perfil

Expresso

Quando uma mentira é melhor

  • 333

A vida amorosa de Laura era, no mínimo, rica, assim o entendia Paulo que não queria mais pormenores e, ao mesmo tempo, parecia não se livrar deles. Havia alturas da vida da mãe que permaneciam na escuridão. Apesar de liberal, de extrovertida, Laura mantivera os seus segredos.

Paulo verificou o frigorífico, não deixou nada. Fechou a porta, um saco do hipermercado na mão esquerda com restos e o coração inquieto. Teria de informar Jaime que a mãe não estava, tinha partido numa viagem. A primeira hipótese, sempre a melhor, dizia-lhe a experiência, seria mentir. Assegurar que sempre tivera conhecimento da intenção de viajar e que a ajudara. A segunda era somente admitir que não tinha ideia onde a mãe estava.