Siga-nos

Perfil

Expresso

Gazeta das Caldas

Intenções de demissão no Conselho de Administração do Hospital das Caldas da Rainha

Na última reunião do Conselho de Administração (CA) do Centro Hospitalar Oeste Norte (CHON), decorrida na passada semana, os cinco elementos terão expressado a intenção de se demitir. É o que apurou a Gazeta das Caldas sem que, até ao fecho da edição, tenha existido a formalização dessa intenção.  

Gazeta das Caldas - Natacha Narciso

Questionada sobre o assunto, a ministra Ana Jorge, disse "não saber nada" apesar de ter estado com aqueles responsáveis durante a visita ao Centro Hospitalar das Caldas.

Questionado sobre este assunto, o presidente da ARSLVT, Rui Portugal, reconheceu que o CHON é um centro hospitalar com "problemas financeiros" porque tem três unidades hospitalares e ainda um hospital termal.

O responsável diz que ainda não foi encontrado o equilíbrio entre as necessidades que existem relacionadas com a prestação tradicional dos serviços do hospital e aquelas que o hospital termal possui.

Nesta fase inicial do CHON e devido aos problemas financeiros, a ARSLVT quer ter "uma acção de acompanhamento mais permanente ao CHON". Com isto, Rui Portugal quer dizer que enquanto reúne com os restantes centros hospitalares com uma periodicidade trimestral ou quadrimestral, com o CHON "reunimos pelos menos de dois em dois meses".

Este responsável diz que este centro hospitalar "é recente e que ainda não encontrou a sua linguagem própria".

São conhecidas as divergências entre os elementos do Conselho de Administração e terão sido notícias sobre investimentos em património (que terão sido aprovados antes da entrada em vigor do Plano de Contenção), que poderão ter precipitado as reuniões com a tutela e as intenções de demissão.

Ministra da Saúde visitou o Centro Hospitalar

Na passada terça-feira, a ministra Ana Jorge visitou o Oeste e, depois de ter estado no Hospital de Peniche, foi ao Centro Hospitalar Oeste Norte, nas Caldas. Chegou perto das 13 horas e começou a visita pelo serviço de Urgência. Como guia teve o presidente do Conselho de Administração do CHON, Manuel Nobre, mas após a passagem por alguns sectores - e da governante ter tomado conhecimento das dificuldades com que este centro hospitalar está a funcionar (que serve agora uma população mais vasta) - Ana Jorge pediu para que os jornalistas não a acompanhassem. A comitiva incluía, além da ministra, o Governador Civil, elementos da ARSLVT, da Administração do Centro Hospitalar e autarcas locais.