Siga-nos

Perfil

Expresso

Gazeta das Caldas

Bombeiros de Óbidos financiam Unidade Local de Formação para simular cenários de perigo real

Domingo (11 de Abril) foi dia de festa na Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Óbidos. Ao completar 83 anos de existência, a instituição conta com cerca de uma centena de homens e 25 viaturas.

Gazeta das Caldas - Fátima Ferreira

Considerados uma referência nacional ao nível da formação, estão a apostar na Unidade Local de Formação e aguardam o protocolo com a Escola Nacional de Bombeiros, que permitirá que o local de simulação que possuem possa também ser utilizado pelos soldados da Paz dos concelhos a norte de Lisboa.

O comandante da corporação chamou ainda a atenção para a diminuição do voluntariado, defendendo a criação de incentivos estatais para estimular os jovens a alistar-se.

"Andar de "mão estendida", vestindo o papel de coitadinhos, significa "afundar" cada vez mais o papel dos Bombeiros na sociedade, confundindo-se cada vez mais o "soldado da paz", o altruísta, o herói, ou o "Senhor Bombeiro", com o desígnio "lá estão eles outra vez a pedir".  Esta a opinião do comandante dos Bombeiros Voluntários de Óbidos, Sérgio Gomes, que este ano, no discurso do 83ª aniversário daquela instituição, decidiu não optar pela "postura de mendicidade", mas antes divulgar os projectos e as parcerias que têm concretizado.

Considerados uma referência ao nível da formação, os Bombeiros de Óbidos aguardam pela assinatura do protocolo com a Escola Nacional de Bombeiros para fazer parte dela, através da Unidade Local de Formação.

De acordo com o comandante, a construção daquela infra-estrutura será uma mais-valia para o corpo de bombeiros, permitindo o treino do pessoal, recorrendo à criação de cenários de incêndios urbanos e à sua simulação. Actualmente possuem cinco contentores no quartel que funcionam como Unidade Local de Formação. De acordo com Sérgio Gomes a mais valia deste simulador já é visível, permitindo aos bombeiros um maior à vontade nas situações reais. "É fundamental para nós e se pudermos alargar ao norte do distrito de Lisboa, tanto melhor", afirmou o responsável, que aguarda pelo protocolo.

Esta infra-estrutura foi criada exclusivamente com verbas que os elementos da corporação conseguiram, enquanto formadores da turma de bombeiros da Escola Josefa de Óbidos, esperando agora pelo apoio da direcção da Associação Humanitária na aquisição de material.

Recordando o ano de 2009, disse que foi um ano difícil para este corpo de bombeiros, tanto pela morte de um soldado da Paz, como pelo aumento das ocorrências, mais 2,8% que em 2008 e mais 32,8% que em 2007. Destas destacou 4000 transportes de doentes, 120 incêndios e 100 acidentes.

Entre os cerca de 70 bombeiros da corporação, existe pessoal formado em várias áreas. Só o ano passado foram ali ministradas 1200 horas de formação, por 11 formadores pertencentes ao Departamento de Formação que, de acordo com Sérgio Gomes, é o "único em Portugal autónomo em termos de pessoal qualificado para a prática formativa".

Sérgio Gomes deixou ainda a sua preocupação com a diminuição de voluntários. "Cada vez são menos os candidatos a bombeiro, sendo este um sentimento praticamente comum e repartido por este país fora", disse, denunciado a falta de incentivos estatais para estimular os jovens a alistar-se. Considera que os estímulos oferecidos, como a isenção do pagamento de taxas moderadoras, apoio no pagamento de propinas no ensino superior ou o tempo de Bombeiro que conta para a reforma não se coadunam com a realidade actual.

Em Óbidos a existência de muitos dos novos voluntários deve-se à parceria que têm com o Agrupamento de Escolas Josefa d'Óbidos para a realização do curso de bombeiro. Apenas metade dos soldados da Paz desta corporação residem no concelho de Óbidos, sendo os restantes dos concelhos limítrofes (Caldas, Bombarral e Peniche).

O presidente da associação humanitária, Luiz Salles, aproveitou a ocasião para agradecer os apoios prestados e também pedir às entidades presentes para os ajudar. À autarquia solicitou a colocação de semáforos e melhor acesso ao quartel, apoio na realização do projecto e fornecimento de algum material para a ampliação do parque de viaturas e para avançar com o processo de colocação de um heliporto nas suas instalações, junto ao Senhor da Pedra.

Também presente na cerimónia Rui Silva, representante da Liga dos Bombeiros Portugueses, informou que, no dia 24 de Abril, irão realizar nas Caldas da Rainha um seminário sobre o acordo colectivo de trabalho, convidando todos os presidentes de direcção a estarem presentes.

Carlos Lopes, represente do governador civil de Leiria, exortou os bombeiros a cuidar primeiro de si para desempenhar um bom trabalho, referindo-se à necessária utilização do material individual de protecção.

Este ano foram homenageados com a medalha da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Concelho de Óbidos, grau cobre, o segundo comandante Marco Martins e o bombeiro Eddy Dias, que representaram esta corporação em missões internacionais. Marco Martins esteve em missão humanitária no Haiti após o sismo ocorrido em Janeiro, enquanto que Eddy Dias participou, como enfermeiro do INEM, na Missão Portuguesa para a Manutenção da Paz em Timor.