Siga-nos

Perfil

Expresso

A Voz de Trás-os-Montes

Rede de Centros Escolares concluída este ano

Boticas e Ribeira de Pena são dois dos municípios cujos centros escolares já estão a funcionar, no entanto, muitos outros estão prestes a abrir, prevendo-se que, no âmbito Programa Nacional de Requalificação da Rede do 1.º Ciclo do Ensino Básico e da Educação Pré-escolar, a maior parte dos centros deverá estar pronta a abrir antes do próximo ano lectivo.

José Manuel Cardoso

No Norte do país, os centros escolares serão cerca de duzentos e irão substituir um universo de mais de três mil escolas. No distrito de Vila Real, vários já vão abrir as portas antes mesmo do novo ano lectivo 2010/11. Depois de Ribeira de Pena e Cerva, o Centro Escolar de Santa Marta de Penaguião será inaugurado em Maio. Este conjunto de obras insere-se no Programa Nacional de Requalificação da Rede do 1.º Ciclo do Ensino Básico e da Educação Pré-escolar, onde as autarquias são um parceiro importante para a execução destes projectos que têm recursos financeiros significativos, disponibilizados pelo QREN - 2007-2013.

Centenas de alunos concentrados em edifícios orçados em milhões

O Centro Escolar de Murça, previsto para abrir para o ano lectivo 2010/11, está a ser construído junto ao Parque desportivo da vila. Dada a sua localização, o equipamento vai centralizar um conjunto de serviços, tais como, a biblioteca, as piscinas municipais e a Escola EB 2,3 e Secundária de Murça. O custo total desta obra ronda os dois milhões e seiscentos mil euros. O Centro Escolar de Alijó deverá estar funcional já para o próximo ano lectivo. Tem dois pisos e biblioteca, recreios cobertos e descobertos, cantina, espaços de reuniões e auditório, quatro salas de actividades para o Jardim-de-infância e dez de salas de aula para a EB1. Num total, são catorze salas para 336 alunos.

Ainda na parte Sul do distrito, em Sabrosa, o Centro Escolar está a ser construído pela SOCIPLANO - Sociedade de Planeamento, Estudos e Projectos, Lda. e irá acolher cerca de 280 crianças do 1º Ciclo de todo o concelho, mais as do Jardim-de-infância da vila. O edifício terá dois pisos em forma de "U" orientado a Sul. Os recreios, cobertos e descobertos, distribuem-se em função dos corpos de salas, desde a pré-primária ao 1º ciclo. O presidente da Câmara Municipal de Sabrosa, José Manuel Marques, refere que este equipamento "representa um salto qualitativo no suporte logístico da comunidade escolar do concelho. Vai acolher todos os alunos do 1º Ciclo e Jardim-de-infância de Sabrosa. O investimento ronda os 2 milhões e 32 mil euros, com uma comparticipação de 70 por cento do ON.2 - O Novo Norte (Programa Operacional Regional do Norte), sendo o restante suportado pela autarquia.

Com um prazo de execução de 12 meses, o Centro Escolar de Peso da Régua, que acolhe também o Jardim-de-infância, será dotado com 22 salas de aula, terá dois corpos principais que se ligarão através de um terceiro corpo, evidenciado no segundo piso, que fará a aproximação à estrada, oposta à linha de comboio. Deverá estar concluído este ano.

Numa primeira fase, a carta educativa de Vila Real prevê a requalificação de três Centros Escolares e a construção de raiz de um Centro. Neste sentido, as obras de requalificação e ampliação serão feitas nos Centros Escolares da Araucária, das Árvores e de São Vicente de Paula e será construído um totalmente novo em Folhadela. A carta educativa de Vila Real estipula ainda a requalificação de mais três centros escolares.

Já em Chaves, o Centro Escolar de Santa Cruz Trindade, em construção, terá uma capacidade para acolher cerca de 600 alunos, o que representa um investimento de 3,5 milhões de euros. Deverá estar igualmente funcional para o próximo ano lectivo. A mesma data de abertura está prevista para o de Valpaços, cujo projecto, no valor de 2 milhões e 826 mil euros, será comparticipado em 70 por cento. Irá dispor de 14 salas de aula do primeiro ciclo, acrescidas de sete destinadas ao ensino pré-escolar.

Em Mesão Frio decorrem também os trabalhos de construção do Centro Escolar, que será dotado de um edifício constituído por três pisos desnivelados, onde serão instaladas quinze salas de aula, biblioteca, refeitório, espaços de apoio e um polidesportivo descoberto.

O Centro Escolar de Vila Pouca de Aguiar abrangerá 348 alunos do 1º ciclo. Terá 16 salas de aula, salas de professores, de convívio, biblioteca e informática, entre outros equipamentos, num investimento orçado em 1,5 milhões de euros. Deverá abrir já no próximo ano lectivo.

O equipamento escolar de Mondim de Basto terá um prazo de execução de um ano e representa um investimento global superior a 1,9 milhões de euros. Trata-se de uma construção de raiz, que concentrará os alunos das freguesias de Mondim e Paradança, o que perfaz um total de 250 alunos. Este projecto contempla 10 salas de aula, uma sala/polivalente, biblioteca/mediateca, uma nave polidesportiva coberta e equipada com balneários, cozinha, refeitório e uma ala dedicada à administração.

Montalegre está a edificar igualmente um novo Centro Escolar junto à Escola Bento da Cruz, enquanto Boticas já tem o seu Centro a funcionar há dois anos.

O Centro Escolar de Santa Marta de Penaguião está praticamente concluído. Segundo o presidente da Câmara Municipal, Francisco Ribeiro, as instalações deverão ser inauguradas em Maio.

Centros escolares garantem "melhores condições e processos correctos de socialização"

Os Centros Escolares de Ribeira de Pena e Cerva foram os últimos a abrir no distrito de Vila Real. O presidente da Câmara Municipal de Ribeira de Pena, Agostinho Pinto, realçou que foi um investimento significativo, nomeadamente para a autarquia, mesmo assim, considera "o dinheiro bem gasto". "Há oito anos comecei a fechar escolas que tinham menos de cinco alunos, fomos pioneiros nisso, e começámos a integrá-los noutras. Agora, as crianças têm melhores condições e processos correctos de socialização, aprendizagem e acesso a meios tecnológicos que eram impossíveis nas antigas escolas primárias.

O director Regional de Educação do Norte, Direcção Regional de Educação do Norte, António Leite, está convicto que, em relação a construção dos centros escolares, "o programa ficará concluído, a nível nacional, nos próximos dois a três anos". "É um Programa de grande impacto que vai e está a revolucionar o panorama da rede escolar do 1º Ciclo em todo o país. É um esforço bastante significativo que o país está a fazer, com verbas oriundas de Fundos Europeus e das próprias autarquias. Os últimos centros que inaugurei, Ribeira de Pena e Cerva, são excelentes exemplos como numa terra do Interior, que alguns consideram pouco desenvolvida e atrasada, se pode dar um passo em frente no desenvolvimento, colocando ao serviço da população um equipamento tão bom como este. No Norte do país serão cerca de duzentos os Centros Escolares que vão substituir um universo de mais de três mil escolas. Estou convencido que o distrito de Vila Real poderá ser um exemplo de como se pode fazer mais e melhor educação em Portugal".