Siga-nos

Perfil

Expresso

Notícias de Hollywood

Rui Henriques Coimbra, em Los Angeles

Sandra Bullock confirma divórcio e adopta filho

A melhor actriz do ano divorcia-se e anuncia que adoptou um menino de Nova Orleães. Cheque mate. Peço os vossos aplausos para a vencedora, Miss Bullock. É com ela que ficará o troféu de Mulher de 2010 Com Mais Classe.

Numa jogada secreta e alucinante que conseguiu envolver a revista People (na qual Sandra Bullock surge em capa da edição, nas bancas esta semana), um orfanato na Luisiana, todos os órgãos de comunicação social metediços, um bebé a sério, um processo de divórcio (absolutamente encharcado em sexo, mentiras e talvez vídeo), um ex-marido famoso e, claro, ela mesma com a vida num turbilhão, a actriz surpreende toda a gente com uma jogada multifacetada em que conseguiu rodear as circunstâncias mais escândalosas e delicadas para se afirmar como mulher em pleno controlo da sua vida.



Sandra anuncia na capa da People que não só já se divorciou, como está perfeitamente satisfeita e super ocupada e deliciada com o novo homem da sua vida: o bebé Louis, que ela adopta agora oficialmente e mostra nas páginas interiores como se, ao largo, nada tivesse acontecido. O sangue frio da actriz, revelando alguém com imensa inteligência aos comandos dos acontecimentos, tem espantado até os analistas com mais experiência nas lides da cultura popular e afirmação individual americanas.



Desde o momento em que o escândalo rebentou, poucos dias depois da ovação recebida a 7 de Março na maior noite da Academia, que Sandra Bullock simplesmente não aparecia em público. A última vez que foi vista: quando ainda promovia o filme The Blind Side em tudo que era secção vídeo de supermercado barato, porque era em lugares desse tipo, com a classe média tentando encontrar uma saída para a crise, que ela ia ao encontro do seu público, aquele que, nos cinemas do sul, primeiro fez dela a actriz mais bem sucedida do ano.



Mas, no momento em que as infidelidades do marido foram reveladas, Sandra Bullock sumiu-se mais depressa que um caracol. Há dias foi vista a fazer jogging em Los Angeles sem a aliança no dedo. Foi aí que começaram as especulações, de que o marido podia esquecê-la pois não havia esperança para o casal. Mas ninguém estava à espera que a oscarizada, apesar da sua reputação de trabalhadora incansável segundo a ética tradicional alemã, conseguisse manter-se firme nos seus planos de vida apesar de o mundo se ter esboroado à sua volta. Mas não há dúvida: pediu o divórcio no Texas e adoptou, como mãe solteira, o menino Louis Bullock. A vida dela continua.



Os documentos legais, terminando a relação marital com Jesse James, 4 anos mais novo que ela, dizem apenas que o arranjo matrionial se tornara insuportável por cauisa das muitas divergências e discussões.

Jesse James também já apareceu em público sem a aliança, e com ar de quem ainda tentava emergir de um pesadelo. Numa carta divulgada, James admite os desvios extra-conjugais, elogia a sua Sandy como quem reconhece erros cometidos e assegura que vai continuar a lutar "contra a montanha mais alta da minha vida", uma referencia as dificuldades que vai encontrar em reaver a mulher que ainda ama.

Também num documento divulgado, Sandra Bullock refere que a sua reacção às infidelidades começou por ser de espanto, acrescentando a seguir que "O que ele fez foi estúpido e inaceitável na minha vida. Não tenho espaço nos meus dias para manobras de medo, cenários nazis, dor ou homofobia".



O bebé, Louis Bardo Bullock, começou por ser um projecto do casal, mas Jesse James fica agora relegado ao papel de pai dos 3 filhos que trouxe para o casamento com Bullock. O pequeno Louis ainda não tem 4 meses mas a actriz declarou: "Não tenho outra maneira de o descrever: ele é simplesmente perfeito. É como se sempre tivesse feito parte da família". Sandra e Jesse começaram o processo de adopção há 4 anos mas o bebé só foi trazido para o lar adoptivo em Janeiro. O casal queria esperar pelos óscares para dar a notícia aos órgãos de comunicação social, mas os acontecimentos precipitaram-se.



No filme The Blind Side, que lhe deu finalmente o óscar após 20 anos de carreira em Hollywood, Sandra Bullock faz de mãe que adopta um menino negro. No discurso emocional de aceitação do prémio, a actriz referiu que o óscar era dedicado a todas as mães que, sem fazer demasiadas perguntas, cuidam das crianças abandonadas "porque essa a única coisa que deve realmente ser feita".