Siga-nos

Perfil

Expresso

A vida de saltos altos

Concursos de beleza para mães frustradas

Numa noite de insónias e zapping televisivo deparei-me com a emissão do programa  "Todlers & Tiaras", que mostra os bastidores de um concurso de "mini misses" que teve início nos anos 60, nos EUA, mas que continua actualmente. Simplesmente abominável!

Sofia Rijo (Sapato nº39) (www.expresso.pt)

Não tenho nada contra os concursos de beleza para adultos e maiores de idade, afinal cada um sabe ao que vai, mas em relação aos concursos de beleza infantis sinto uma aversão tamanha.  São mães frustradas pela sua infeliz imagem, e por, porventura, nunca terem conseguido singrar nem no mundo da beleza, e muito menos no da inteligência, obrigam as  filhas de tenra idade a participar em concursos de beleza e a competir entre si.

O programa "Toddlers & Tiaras", emitido por uma das maiores cadeias televisivas norte-americanas, mostra os bastidores de concursos de beleza inter-estaduais realizados nos EUA, nos quais as idades das concorrentes oscilam entre os 18/22 meses (e menos) e os 10/11 anos, são literalmente obrigadas a encarnar, através de adereços e purpurinas, papéis de mulheres adultas, sob responsabilidades e competições nada saudáveis, que simplesmente as impedem de ser aquilo que deviam ser... crianças. 

E Freud?como explicaria isto?

Estas meninas, na sua maioria, são sujeitadas pelas mães, feias e disformes também na sua maioria, a vestirem-se como mulheres adultas, voluptuosas e sexy's, com cabeleiras, dentes falsos e maquilhagem (que é imprópria para peles tão jovens), e a dias e dias de stress competitivo, no meio de outras mães e outras meninas que, desde tenra idade, são obrigadas a tornar-se em verdadeiras sacaninhas em ponto pequeno.

Como é que Freud explicaria a atitude destas mães? Que tipo de desenvolvimento psicológico e emocional vão ter estas meninas até chegarem a mulheres? E a frustração da vida e das verdadeiras competições quando chegarem ao estado adulto?

Segundo o pai da psicanálise, é entre os 0 e os 7 anos que o ser humano constrói a sua personalidade e valores mais primários. Então que tipo de valores estão a ser incutidos nestas amostras de gente, ao serem obrigadas a competir em concursos de adulto, e a mostrarem uma imagem de criança-mulher?

Que tipo de mães são estas que, para realizar os seus sonhos frustrados, brincam com bonecas de carne e osso, ao invés de permitirem às suas crias de brincar e viver os melhores anos das suas vidas, livres de responsabilidades e competições hediondas.

Apelo ao bom senso nacional

Já que nos dias de hoje se fala tanto em pedófilia, que nome poderemos dar a este tipo de concurso e atitude social? Que tipo de gente está por detrás da destes concursos e de programas de televisão que ganham dinheiro e audiências a passar este tipo de programação, totalmente anti-pedagógica, e que no sentido mais objectivo, dá a volta ao estômago.

Por enquanto este formato televisivo ainda não abarca o público português, e sinceramente, para bem de todos nós, mas sobretudo para os mais pequenos, esperemos que nunca exista.