Siga-nos

Perfil

Expresso

A vida de saltos altos

Como entreter os filhos de borla? Digo-vos aqui e agora

Bilhetes esgotados, não há festinhas de anos, está a chover. Cenários de pânico para quem faltam ideias para entreter os filhos num dia de folga. Siga as minhas 15 sugestões e passe horas divertidas com a criançada, sem sequer gastar dinheiro.

Ana Areal (sapato nº37) (www. expresso.pt)

Muitos pais nem sempre sabem o que fazer para entreter os filhos, sobretudo quando as alternativas mais comuns falham (cinema, espectáculos, etc) ou quando os programas já se repetiram tantas vezes que deixaram de ter piada (zoológico, oceanário, etc).

A ideia de que é preciso gastar dinheiro, enfrentar trânsito e stress para as crianças se divertirem não podia estar mais errada. Tudo o que pequenotes querem é passar umas horas divertidas, especialmente com os pais, em jogos e gargalhadas que, se forem bem programadas, normalmente não custam um cêntimo e dão prazer a toda a família.

Portugal no seu melhor

Não vale a pena apontar muito o dedo a quem escolhe salas de cinema em shoppings apinhados de gente para enfiar os miúdos. Simplesmente porque o nosso país também não ajuda nada no que toca ao funcionamento de espaços como museus, bibliotecas ou locais onde se realizem workshops para as crianças. Escandalosamente, aos fins de semana muitos dos locais onde seria interessante levar as crianças encontram-se enecerrados. O melhor exemplo destas medidas perfeitamente descabidas são os museus: encerram aos domingos e feriados. Palavras para quê? Esta é de facto uma das principais queixas de muitos pais. Têm parte da razão, mas não toda. Mas sobre isso, já falamos mais à frente.

Os restaurantes são mais um local onde não existe tradição de pensar nas crianças. Não têm nem horários livres nem um cantinho próprio para os mais pequenos se entreterem enquanto os pais almoçam ou jantam calmamente. O único local que ainda pensa nas crianças, e sem aplicar os tradicionais horários rígidos das cozinhas, é o McDonalds.

Os miúdos divertem-se com actividades simples, desde que sintam o envolvimento genuíno dos pais

Os miúdos divertem-se com actividades simples, desde que sintam o envolvimento genuíno dos pais

Mas será que estaremos condenados a comer fast food quando queremos começar um programa de uma tarde bem passada com uma refeição calma, onde as crianças estejam entretidas? Infelizmente, acho que em Portugal ainda não é possível.

Embora não seja o tema principal deste texto, o exemplo das salas de espera nos consultórios médicos também vem ajudar a este cenário pouco favorável ao entretenimento que qualquer criança precisa e merece. Refiro-me ao facto de ainda serem poucos os  consultórios médicos que têm imaginação para receber os seus pacientes mais novos.

Em países mais evoluídos, as crianças são as primeiras a quererem voltar ao consultório médico onde levaram uma "pica" qua até doeu. É que em troca receberam uma surpresa ou, enquanto esperavam não ficaram ansiososos, pois puderam usufruir de brinquedos divertidos e diferentes.

Mas tudo isto parece ainda não ter chegado a Portugal. Pelo menos por enquanto, a mentalidade neste aspecto tem muito que evoluir.

A chuva e frio não atrapalham nada

Esqueça o shopping num domingo à tarde só porque está a chover. Aliás, esqueça o shopping de todo. Deve haver poucos sítios além das grandes superfícies comerciais que consigam provocar com tanto sucesso uma tamanha carga de stress numa família inteira.

O teatro ou o cinema são de facto boas alternativas, mas não é para todos os bolsos - sobretudo em crise - e nem sempre há bilhetes ou sessões interessantes.

Procure soluões ao ar livre. Mesmo que esteja a chover (aguaceiros, naturalmente, não em caso de trombas de água), sair com um traje acondicionado é muito saudável para todos, acredite. Lembre-se que começa logo pelo facto de os miúdos adorarem chapinhar com galochas em poças de água.

Eu passei a infância na Alemanha e recordo-me que além de chover e nevar imenso, fazendo sempre muito frio, passava a vida na rua a brincar. Sempre agasalhadíssima, tal como os muitos outros meninos com quem brincava e com os pais a acompanharem-nos. O resultado destes passeios "frescos" eram: um regresso a casa com as bochechas rosadas e geladas, mas com serenidade, satisfação e felicidade. No final destes dias, o resultado era favorável para toda a família: um sono tranquilo e relaxado.

Uma ajudinha para pais com menos imaginação

Não acha que cinco idas ao zoo por ano é muito? Por outro lado, já pensou que o tubarão do oceanário é capaz de já ter decorado a cara do seu filho, de tantas foram as vezes que já ali foi? Claro que estou a brincar, ambos os locais são interessantes e recomendam-se, mas também são caros e há mais vida para além da bicharada.

Tem falta de imaginaçao? Continue a ler que eu ajudo.

Sugestão 1: toca a pedalar

Ande de bicicleta juntos em locais saudáveis e lindos que o nosso país tem. Alguns exemplos: Monsanto, Sintra ou o Guincho (Lisboa); Foz ou Matosinhos (Porto); Gerês (Braga). Aproveite e leve o bebé num atrelado próprio para bicicletas, não é caro e dura uma vida, além disso, pode sempre ficar para transportar os vossos netos daqui a uns anos. Se estiver a chuviscar, acondicione-se e feche o atrelado. O bebé vai adorar ver as pingas da chuva a cair ou ver a paisagem à sua volta. Quanto ao pai e à mãe, até fazem exercício e ficam mais saudáveis.

Sugestão 2: toca a adivinhar

Brinquem ao adivinha com as crianças. Tentem adivinhar o que o outro está a pensar. O tema pode ser sobre música, animais, comida, etc. É divertido. Podem ser feito em qualquer lado e, mais importante, exercita o cérebro.

Sugestão 3: toca a lançar os dados

Joguem um jogo de tabuleiro juntos. Há imensos jogos para pais e filhos, certamente que os seus miúdos já receberam no Natal ou nos anos jogos de tabuleiro como, por exemplo, o jogo da Glória. As crianças adoram esses jogos, mas só se jogar com elas. Por isso, toca a lançarem os dados. Aproveite e recorde a infância, quando o fazia com amigos ou com os seus próprios pais. Conte às crianças enquanto joga e elas vão adorar, pois os mais novos adoram histórias.

Sugestão 4: toca a construir

Ajude o seu filho a construir com legos. Misturem as peças todas em cima de uma manta macia ou de um lençol, deitem fora as instruções de cada colecção. Agora inventem veículos, casas, naves, etc. A criança ficará em delírio se a desafiar (e ajudar) a tentar reproduzir coisas do quotidiano que lhe são familiares, tão simples como o vosso carro, a mesa onde come. Experimente e verá. Os legos são talvez dos brinquedos mais didácticos que existem. Ajudam a exercitar a criatividade e o génio.

Sugestão 5: toca a fazer de focas

Aproveite um dia de domingo à tarde em que esteja frio, ou a chover, e vá para uma piscina municipal coberta e brinque com os seus filhos dentro de água. Em seguida, depois do banho do balneário, vá para casa e mostre-lhes curiosidades (em livro ou recorrendo à Internet) sobre a relação do Homem com a água, por exemplo, no desporto: nomes e recordes de campeões de natação, fatos próprios para nadar, mergulhos para a água, etc.

Sugestão 6: toca a cozinhar

Faça uma sessão de culinária com as crianças. Elas adoram. Cozinhe brigadeiros, bolos, ou mesmo legumes. Ponha os meninos a mexer na massa de bolos ou a lavar os legumes ao mesmo tempo que lhes explica que legumes são. Esta brincadeira pode tornar-se altamente pedagógica, basta que aproveite para lhes explicar, por exemplo, os perigos que existem quando se cozinha e como fazê-lo com segurança; a importância dos alimentos; a necessidade de saberem cozinhar para não dependerem de ninguém quando adultos; a alegria de cozinhar para receber amigos e família.

Sugestão 7: toca a caçar o tesouro

Organize uma caça ao tesouro. Pode ser mesmo no seu quintal, num parque público, ou até numa praia. Prepare um tesouro com coisas que eles adorem. Esconda-o muito bem e faça um mapa com pistas indicadoras. Acompanhe-os nesta caça. Quanto mais criativo for, mais todos se divertirão. Seja o orientador do jogo. Faça como se estivesse a contar uma história. Enfatize ao máximo. Crie um ambiente de aventura e fantástico só com o que vai dizendo. Se fizer o jogo com mais de uma criança, do início ao fim do jogo, não se esqueça de dizer que foi um trabalho de equipa e não apenas de um jogador.

Sugestão 8: toca a mudar os móveis

Troquem de lugar alguns móveis do quarto deles. Renovem a decoração com imaginação. Podem mesmo pintar juntos um quadro novo ou encaixilhar alguns desenhos feitos por eles e pendurá-los.

Sugestão 9: toca a ser botânicos

Visite com os seus filhos uma horta ou uma estufa de flores e plantas. Há algumas lojas de plantas que têm um espaço ao ar livre com flora riquíssima. Ensine-os o nome de muitas dessas flores e plantas. Escusado será dizer a importância do conhecimento que se pode retirar desta brincadeira, bem como da sensibilização para o ambiente. 

Sugestão 10: toca a ir à biblioteca

Visite uma biblioteca com as crianças. Elas vão adorar. Esolham juntos alguns livros. Leiam ali mesmo na biblioteca ou tragam para casa. Não esqueça que também existe a bedeteca, como a de Lisbo, onde as prateleiras estão repletas de livros de banda desenhada para todas as idades e o ambiente é menos formal do que o de uma biblioteca convencional. Aí, pode encontrar os livros com os heróis favoritos dos seus filhos (estão lá todos) e lê-los ali mesmo, confortavelmente sentados.

Sugestão 11: toca a ir a passear pelo pinhal

Dê um passeio por um pinhal. Mostre-lhes cogumelos, caruma, musgo, bolotas, pinhas, folhas diferentes das árvores, etc. Um passeio ecológico destes é muito rico culturalmente.

Sugestão 12: toca a pintar um lençol

Pintem um lençol velho branco no chão com guache. Introduza você um tema. Eles pintam e vão adorar. Pode pendurar a "obra-prima" algures durante uns dias, ou colocá-la num sítio visível. Aumenta a auto-estima das crianças, dá-lhes uma boa memória para referência no futuro e cria-lhes vontade de voltar às actividades simples, mas divertidas.

Sugestão 13: toca a saber quem é quem na família

Façam uma árvore geneológica. Assim eles começam a perceber as gerações passadas e as suas origens. Esta diversão pode durar um fim-de-semana. Arranje tantas fotos quanto consiga dos avós, tios, primos, etc. Tudo serve para escolher uma e recortar. Deixe-os fazer a árvore, começando por uma foto deles próprios, de cima para baixo. Escolha uma superfície grande. No final, se conseguir e puder, emoldure, nem que seja numa moldura de um quadro que já não use. Eles vão gostar de pendurar na parede um quadro com todos os membros da família e vão querer mostrar às visitas.

Sugestão 14: toca a montar o pónei

Andar de pónei ou mesmo cuidar de ponéis é outra actividade muito apreciada pelas crianças. Vá à poneilândia e divirta-se com eles. Sim, eu sei que esta actividade não é de borla, mas tem preços para várias carteiras e pode sempre pô-la na lista de actividades com custos.

Sugestão 15: toca a cantar

Karaoke com pontuação. É muito divertido e não é preciso ter uma consola tipo playstation ou uma wii. Basta ligar-se à Internet. Cantar sempre fez bem à alma, se o fizer com os miúdos eles vão adorar e você também vai sentir a diversão.

Regra de ouro para entreter os seus filhos

A lista em cima tem 15 sugestões, mas podiam ser 30 ou muitas mais. O importante a ter em conta é que as crianças não precisam de actividades sofisticadas, mas sim de se sentirem amadas e acompanhadas. Brincadeiras tão simples como um jogo do galo pode arrancar sorrisos, gargalhadas e boa disposição durante vários minutos. Na maioria das brincadeiras é possível transmitir cultura, conhecimento e, mais importante, reforçar a auto-estima e a segurança. Por isso, em qualquer actividade que os seus filhotes façam, você deva participar sempre que possível e entreter-se genuinamente com eles.

Lista de frigorífico = a histórias inesquecíveis

Agora, procure fazer alguma destas ou outras actividades em conjunto com os seus filhos. Imprima este texto, recorte a parte das sugestões e coloque a lista na porta do frigorífico, com quatro ímanes nas pontas. Cada vez que concretizar uma das sugestões, escreva com os seus filhos o que sentiram de agradável quando brincaram. Daqui a uns anos vai gostar de recordar esses momentos, simples, mas felizes. Eles também gostarão. Já agora, aproveite e divirta-se. Afinal de contas são os seus filhos.

A Vida de Saltos Altos também está presente no Facebook. Na página desta popular rede social qualquer um pode ser amigo deste blogue. Clique para visitar.

A Vida de Saltos Altos é presença assídua no Twitter, onde estão todos os posts deste blogue. Junte-se às pessoas que aí nos seguem. Clique para visitar.