Siga-nos

Perfil

Expresso

A vida de saltos altos

A linguagem sexual do carro

Fora de piadinhas pré-feitas de "mulher ao volante, perigo constante", convido-os a pensar nos efeitos que hoje um carro pode ter na vida de homens e mulheres. É que não é só nos filmes da Disney e da Pixar que os carros falam.

Solange Cosme (sapato nrº 39) (www.expresso.pt)

Desde sempre que o carro é visto como um objecto masculino. Homem que é homem sabe conduzir qualquer máquina e especialmente bem um automóvel. Numa versão mais machista são os homens que percebem de carros, deste à motorização, passando pelos binários, turbos e acabando nas pastilhas dos travões e nas jantes de 17'. "É uma coisa de gajos". Como o futebol e as minis com os amigos.

Não há muito tempo, o facto de uma mulher conduzir indicava independência e emancipação e em algumas culturas era mesmo algo que não era aceite socialmente. Por outro lado, o facto de uma família possuir um automóvel era visto como um luxo e um sinal de riqueza que não estava ao alcance de qualquer um. Mudam-se os tempos, mas alguns sinais prevalecem.

Esta masculinização do automóvel, com o tempo, foi deixando de fazer sentido. Um carro é hoje visto como um meio de transporte, algo absolutamente necessário na vida moderna, e homens e mulheres conduzem diariamente todo o tipo de carros. Mas será que passou a ser apenas um bem necessário e deixou de ser um objecto de luxo e uma forma de expressão social? Será que ainda há diferenças entre homens e mulheres atrás do volante?

Fora de piadinhas pré-feitas de "mulher ao volante, perigo constante", convido-os a pensar nos efeitos que hoje em dia comprar um carro pode ter na vida de homens e mulheres. É que parece que não é só no universo da Walt Disney e da Pixar que os carros falam. Na vida real também, e é uma linguagem muito própria!

Efeitos das quatro rodas em homens e mulheres

A diferença entre homens e mulheres no que diz respeito a automóveis parece começar logo na escolha e na compra do mesmo. Segundo os especialistas, quase que é possível traçar um perfil psicológico de uma pessoa pelo carro que conduz e pela maneira como o conduz. No reino animal temos alguns exemplos que machos, especialmente pássaros, que decoram os seus ninhos para atrair e seduzir as suas fêmeas. Digamos que... é o banco traseiro do pobre passarinho, que não consegue ter um BMW. E resulta? Vamos a factos.

Como já todos sabem, eu adoro estes estudos norte-americanos, feitos a não sei quantas pessoas, na universidade de não-sei-muito-bem-onde e cujos resultados são tão discutíveis como argumentar se o melhor bolo de chocolate do mundo é mesmo o melhor bolo de chocolate do mundo ou se é o meu feito lá em casa. Por isso, aqui vai mais um:

Num estudo feito por uma universidade norte-americana, foram mostradas a algumas dezenas de mulheres fotografias do mesmo homem em carros diferentes - um Bentley Continental e um Ford Fiesta. Estas mulheres, entre os 21 e os 40 anos de idade, escolheram, em 95% dos casos (!!), o homem no Bentley em detrimento do homem no Ford.

O Doutor Michael Dunn foi um dos responsáveis pelo estudo e chegou à conclusão, com vários testes similares ao descrito, que as mulheres tendem a classificar como mais atraente um homem por detrás de uma rodas bem equipadas!

Mas esta pesquisa não teve como objecto apenas as mulheres, e o curioso é verificar que se as mulheres ficam deslumbradas pelo carro do homem, o contrário já não se aplica. É que, parece, os homens não são particularmente interessados no tipo de carro que a mulher conduz. O que interessa ao homem é o que a própria mulher aparenta.

Consusão a que chego? Homens preferem mulheres bonitas, jovens e elegantes. Mulheres preferem homens com carros bonitos, novos e elegantes. Enfim...

À primeira vista esta declaração parece algo totalmente assustador. Mas os terapeutas e especialistas que chegaram a esta conclusão explicam que tudo isto é apenas um reflexo dos instintos básicos da humanidade. Tradicionalmente as mulheres procuram homens que aparentem um status de vida elevado e que tenham estabilidade económica pois associam esse facto a uma família feliz, com possibilidade de procriar em estabilidade. Por outro lado, os homens procuram uma mulher jovem e bonita como forma de preservar os bons genes e de possuir uma prole saudável. Ou seja, anda tudo à volta da procriação que parece que é para isso que cá andamos!

O Porsche e a Crise de Meia Idade

Mas parece que não são só as mulheres afectadas pelos carros topo de gama. Na verdade, esta reacção feminina é tão basicamente conhecida pelos homens que acaba por ter um reflexo muito substancial nos mesmos. Nomeadamente nos que necessitam de se afirmar perante a sociedade.

Segundo os mesmos especialistas que estudaram os comportamentos acima descritos, há algo que é completamente indiscutível: os carros são a primeira compra de um homem em crise de meia idade. Na verdade, parece que quanto mais desportivo, rápido e caro for o carro que o homem compra, mais jovem, fantástico e imbatível esse mesmo homem se sente. Digamos que é uma espécie de tinta cara para tapar os cabelos brancos e um facelift indolor para colmatar as rugas. Há mesmo homens a afirmar que têm mais apetite sexual quando compram um carro desportivo e que a sua autoconfiança dispara em flecha!

A parte mais curiosa, e até engraçada, deste estudo - mas que só prova o quanto homens e mulheres andam desencontrados neste mundo -, é que se é verdade que por um lado as mulheres se sentem atraídas por homens que aparentam um status elevado através do carros que conduzem, por outro, a primeira reacção de qualquer mulher quando lhe perguntam se imaginava, como marido, o homem que conduz o desportivo, a resposta é claramente "Não". É que por mais extraordinário que seja o carro, a mulher considera que o homem que se passeia por aí num descapotável qualquer é geralmente pouco sério e não procura uma relação duradoura. Na verdade, quando questionadas sobre o carro ideal para o marido ideal, a resposta vem rápida: um monovolume, e de preferência híbrido! É que parece que gostamos de homens que tenham espaço para as crianças e que sejam sensíveis o suficiente para ainda se preocuparem com o ambiente.

Confusos? Eu também. Por via das dúvidas aconselho-vos a comprarem uns bilhetes de metro. É mais barato e deve certamente haver um conjunto de mulheres que acha isso bastante sexy!