Siga-nos

Perfil

Expresso

Uma mulher careca pode ser bonita. Estas islandesas comprovam-no

  • 333

E se de repente o seu cabelo começasse a cair? Talvez para os homens esta seja uma realidade mais comum, mas para as mulheres o tema é muito sensível: o cabelo farto faz, desde sempre, parte do conceito de beleza feminina. Poderá então uma mulher careca ser bonita e altamente feminina? Claro que sim. Mas para quem tem dúvidas a fotografa islandesa Sigga Ella começou a fazer uma série de retratos dedicados às mulheres que sofrem de alopécia.

Para quem não conhece esta doença, aqui fica uma descrição reduzida do seu impacto: é uma condição que leva à queda gradual do cabelo, começando por pequenas peladas no couro cabeludo e que pode ir até à sua perda total. Em alguns casos pode até mesmo acontecer a perda de todos os pelos do corpo, sendo nesse caso denominada por alopecia universal.

Embora esta doença autoimune afete mais de 50% dos homens caucasianos (um número que pode chegar aos 80% quando estão na terceira idade), nas mulheres é mais rara. Contudo, acontece.

Este trabalho fotográfico foi intitulado “Bladvin”, em homenagem ao nome da associação que apoia os portadores de alopécia na Islândia. Com ele a fotógrafa pretende chamar à atenção para esta doença nas mulheres, que para tantos de nós é totalmente desconhecida. E redefinir os estereótipos de beleza feminina ao mostrar que uma mulher não precisa de ter cabelos compridos para ser altamente atraente.

Nesta série de sete fotografias, que deverá culminar em breve numa exposição, isso fica claro. Não é o cabelo – tal como não é o tamanho da roupa, – que define a beleza de alguém. Se há conceito lato, a beleza é sem dúvida um deles. Espreitem todas estas imagens aqui e tirem as vossas próprias conclusões.