Siga-nos

Perfil

Expresso

As mães também mentem e estas foram apanhadas

  • 333

E se durante uns largos minutos, tudo o que dissessem aos vossos filhos tivesse de ser a verdade e nada mais do que a verdade? É certo que a confiança, o respeito e a honestidade devem fazer parte da relação base entre pais e filhos. Mas convenhamos: para o bem de todos, não se deve contar tudo, nem aos filhos, nem aos pais. Ser honesto não é o mesmo de abrir a tal ‘caixa de Pandora’. E essa, em situações que não lesam ninguém, é realmente só nossa.

A curiosidade em relação ao passado dos pais é muito comum e acredito que muitos dos que estão a ler isto já tenham ouvido respostas evasivas dos seus progenitores a perguntas mais indiscretas. Por exemplo, eu lembro-me bem da vez em que perguntei à minha mãe se alguma vez tinha fumado erva com o meu pai, e de o seu ar de senhora impecavelmente imaculada se ter mantido inabalável. Quando fiz a mesma pergunta ao meu pai – tendencialmente muito mais desbocado do que a minha mãe – a reposta foi: “Mas há alguém da nossa geração que não o tenha feito? A tua mãe tem uma memória muito seletiva para esta tipo de coisas!”.

Claro que esta divergência de memórias deu azo a inúmeras piadinhas lá em casa, que se arrastam ao longo do anos, mas ela não desiste de manter a sua posição. E eu adoro-a por isso. Percebo que não o faz por desonestidade, mas sim por pudor e um enorme receio de nos dar um mau exemplo. E não é a única a pensar assim.

O Distractify desafiou algumas mães, bem diferentes umas das outras, a serem interrogadas pelos próprios filhos  sob a utilização de um detetor de mentiras. Perguntas como “com que idade perdesta a virgindade?”, “alguma vez infrigiste a lei”, “já fizeste sexo a três” ou o clássico “alguma vez fumaste um charro?” fazem parte das dúvidas colocadas, e que aqui não tinham espaço para respostas evasivas ou falsas.

O resultado é, em alguns casos, hilariante. A curiosidade matou o gato, costuma-se dizer. E há aqui alguns filhos que embora não morram de choque com as respostas, gostariam certamente de nunc a ter feito algumas das perguntas.

Em menos de uma semana, o vídeo já vai em mais de 4 milhões de visualizações no YouTube. Perfeito para terminar a semana com umas boas gargalhadas. E, quem sabe, partilhá-lo com as mães no próximo almoço de família. Da frase “eu nunca fiz isso!”, muitos de nós não se escapam.