Siga-nos

Perfil

Expresso

O Portugal de Marcelo

Celebra-se hoje o primeiro aniversário de vida do mandato do Presidente Marcelo, em versão revista e melhorada do Professor que durante tantos anos encantou espectadores, alunos, jornalistas e outros tantos comuns mortais.

O Portugal de Marcelo está bem e recomenda-se, finalmente. Após um ano de intensa e intensiva presidência de Marcelo e dos seus afectos, todos os portugueses sentem o amor que está no ar e que se respira com optimismo.

Dúvidas houvessem, teriam desaparecido com a entrevista do passado Domingo, fazendo relembrar os bons e saudosos tempos do Professor Marcelo enquanto visita de casa dos portugueses no fim de semana.

O Professor Marcelo explicou assim em tempo recorde durante a entrevista o quão importante foi, é e será o Presidente Marcelo na gestão política do governo, da oposição, da concertação social, do investimento e de todo o país no geral.

O optimismo do Presidente Marcelo é bem superior ao do Professor Marcelo e só tem comparação com o do Primeiro-Ministro Costa, número dois do executivo liderado pelo Presidente e fiel aliado e competente executor das suas políticas.

Ficaram os portugueses finalmente a perceber que Portugal está belíssimo e a crescer o que é possível, e que o possível já é bem bom, mas que pode crescer mais, se for possível.

Explicou de forma professoral que afinal sempre havia alternativa à austeridade para cumprir as metas do défice orçamental, apesar de alguns dizerem que não era matematicamente possível aumentar despesa, reduzir impostos e reduzir o défice.

A oposição ressabiada é que ainda insiste em chatear com argumentos falaciosos, continua a afirmar que nem a despesa total foi aumentada, porque a redução do investimento foi superior ao aumento dos salários e pensões, nem os impostos totais foram reduzidos, porque a redução dos impostos directos foi compensada pelo aumentos dos impostos indirectos.

Os mercados e os portugueses aprenderam também que Portugal já está a restruturar a dívida, pois emite dívida em melhores condições de custos e prazos para substituir dívida existente. Coisa nunca antes vista e claramente inovadora nesta presidência e neste governo...

Mas o Professor Marcelo ainda tem muito que ensinar aos portugueses, nomeadamente aos que ainda conseguem manter algum juízo crítico ou que sofrem na pele a crise da austeridade, como por exemplo aquele sem-abrigo que estava numa tenda da protecção civil visitada pelo Presidente Marcelo nestes gelados dias de inverno, que ao ouvir as suas belas explicações sobre quão bem ia a vidinha dos sortudos portugueses, murmurou: “Olhe que nem tudo está bem...”. Devia ser da oposição...