Siga-nos

Perfil

Expresso

Marcelo, amigo, o povo está contigo!

  • 333

Portugal é fado e saudade. Saudade dos tempos áureos dos Descobrimentos e das conquistas de D. Afonso Henriques, das quais bom exemplo foi a Batalha de Ourique recordada por Marcelo no seu discurso de tomada de posse.

Marcelo conhece bem Portugal. O seu povo e a sua história recente e antiga. Sabe que o fado do povo é viver em crise. Ser pobre sempre foi uma fatalidade em Portugal. Pouco se fala das condições do povo nos tempos áureos de Portugal, pois pouco tinham de dourados. Apenas os Reis e a sua corte de nobres poderiam ter guardado boas memórias desses bons tempos. Pois dos fracos não reza a história. Nem do pobre povo.

O fado dos portugueses é a resignação. Podia sempre ter sido pior e esperemos que o ano que vem não seja pior do que o ano que passou, o que já será bem bom. Quem não arrisca não petisca mas mais vale um pássaro na mão do que dois a voar. É mais reconfortante saber que há sempre alguém pior do que nós, coitadinho, do que pensar nos que estão melhor, pois isso é ser invejoso.

Marcelo sabe que todos os bons Reis sabiam da importância do povo. Mostrar respeito e sentido de justiça é meio caminho andado para obter o seu apoio. Apoio esse indispensável na mobilização do reino contra o invasor externo, ou qualquer rebelião interna. Na Assembleia da República ou nas ruas.

Marcelo quer e pode contar com o apoio do povo para exercer o seu magistério de influência de forma executiva, numa interpretação muito própria da Constituição que bem conhece.

O político mais popular da democracia portuguesa que nunca exerceu nenhum cargo executivo eleito, não deixará passar esta última oportunidade de deixar a sua marca na história. E ser “apenas” Presidente não basta a Marcelo. O Presidente Eleito dará lugar ao Presidente Paternalista que cuidará e protegerá o seu povo nos próximos 10 anos.

Os limitados poderes do Presidente da República serão potenciados pelo clima de instabilidade política actual e futura, que exigirão habilidade, instinto, flexibilidade e experiência políticas. Marcelo fará das reconhecidas qualidades políticas e capacidade de negociação do actual Primeiro Ministro uma brincadeira de crianças.

A tomada de posse de Marcelo serviu para mostrar a sua proximidade, respeito e até admiração pelo seu povo, fazendo prova que nada mudou na sua relação e relacionamento. O povo sabe que pode contar com Marcelo e Marcelo tudo fará para poder contar com o povo.

O novo Marcelo Presidente é o mesmo velho Marcelo comentador. O Marcelo político é o mesmo Marcelo professor. O Marcelo na rua é o mesmo Marcelo na televisão. Marcelo continua assim a ser “fixe”.

Marcelo sabe que o que faz falta é animar a malta. A malta agradece e aplaude. Excepto o PCP e o BE que andam cada vez mais desanimados.