Siga-nos

Perfil

Expresso

O que faz falta é animar a malta!

  • 333

Enganou-se quem dizia que os portugueses andavam arredados da política. Quem dizia que já ninguém gosta dos políticos. Quem dizia que o espírito do 25 de Abril estava esquecido.

Nada como uma boa polarização da sociedade portuguesa entre esquerda e direita para mobilizar os ódios de estimação recalcados por uma convivência forçada. Convivência forçada de uma esquerda que nunca conseguiu ser, nem ter, poder em Portugal, com a direita do PSD, CDS e PS que sempre terá governado contra a esquerda, como agora é alegado.

Por isso uma boa revolução de esquerda é sempre mais mobilizadora do que qualquer negociação ao centro. Contra os tiranos de direita que só porque ganharam as eleições pensam que isto é tudo deles!

Finalmente os ideais da esquerda de Abril podem ser cumpridos pela mão do PS. O que faz falta é animar a malta!

Pelo menos enquanto houver dinheiro dos outros para gastar. O problema desta vez é que não há muito dinheiro dos outros, como nos bons velhos tempos. Desta vez os ricos não chegam para pagar a crise!

Infelizmente, os poucos ricos que ainda restam não são suficientes para suportar o estilo e a qualidade de vida que todos gostaríamos de ter. Castigar os poucos empresários que investem e criam emprego também pode não ser uma ideia tão brilhante como ainda parece a alguns, afinal de contas.

Por falar em contas, o novo programa do aparentemente muito ambiciado, e ambicioso, governo de esquerda unida promete menos impostos, maiores salários e menos horas de trabalho, entre outras coisas igualmente boas.

Costa irá desta forma provar a Tsipras que Portugal não é a Grécia. Tsipras não conseguiu cumprir estas promessas na Grécia certamente não por falta de vontade ou empenho, mas por falta de jeito. Ou de dinheiro.

No programa de governo que o PS levou às eleições, era o crescimento económico que pagava a crise e suportava a diminuição da austeridade, com crescimentos de 3% do PIB já em 2017.

Neste novo programa de governo do PS negociado à esquerda, não há crescimento turbinado do PIB que aguente, pelo que a expectativa do comum dos mortais é grande para saber como Costa vai fazer a Quadratura do Circulo desta vez.

Cumprir as metas do défice e controlar a dívida pública enquanto se aumenta salários, reduz impostos e reduz horas de trabalho só será possível com grande imaginação.

Como sabemos que imaginação não falta, o novo programa de governo à esquerda será com certeza surpreendente, e deve ser por isso que está envolto em tão grande segredo. Certamente para nos impressionar ainda mais.

Esperemos que esteja repleto de surpresas agradáveis e que acabe com a crise de uma vez por todas!