Siga-nos

Perfil

Expresso

  • Desempregados num mundo de Robôs? Quais Desempregados?!

    Robotizando

    Pedro U. Lima

    Henrique Monteiro escreveu, na semana que passou, dois artigos no seu blogue "Chamem-me o que quiserem" deste jornal, sobre um "facto" que não discute: os robots e a automação criam desemprego e são uma das maiores causas do desemprego estrutural que atinge países como Portugal. No entanto, as estatísticas mostram que a premissa de que parte o articulista deste semanário está errada: os robots não eliminam empregos! Pelo contrário, acabam por multiplicá-los, pelo menos no médio prazo. Subjacente à discussão está também uma atitude política sobre a importância do trabalho qualificado vs mão de obra barata nas sociedades modernas.

  • Vêm Aí os Robôs

    Robotizando

    Pedro U. Lima

    2013 foi um ano em que de repente se ouviu falar da Robótica como a tecnologia disruptiva do futuro próximo. Trata-se de uma explosão mediática e de mercado que certamente tem lados encorajadores e excitantes para quem desenvolve a sua actividade nesta área. Mas há que manter os pés na terra. Estará a tecnologia madura para alguns dos prometidos desenvolvimentos?

  • Robôs Criam Emprego

    Robotizando

    Pedro U. Lima

    O mais habitual argumento contra o uso dos robôs é que supostamente estes acabam com muitos empregos, substituindo operários. O surpreendente é que os robôs, com a sua capacidade crescente de substituir humanos em tarefas cada vez menos rotineiras, estão na verdade a criar em muitos casos um igualitarismo crescente entre diversas regiões do mundo relativamente ao potencial para criarem produtos competitivos, sem terem que recorrer a salários baixos - os produtos são fabricados pelo mesmo tipo de robôs e sistemas de automação. Ao mesmo tempo, alguns estudos parecem mostrar que, em muitos casos, não só alguns empregos são mantidos, embora com características diferentes (mais criativos, menos perigosos), como o emprego na região aumenta em empresas que produzem produtos necessários às fábricas automatizadas.

  • Krugman, Marx, Robôs e outras estórias sérias...

    Robotizando

    Pedro U. Lima

    O economista Paul Krugman escreveu recentemente que se tem observado nas últimas décadas um aumento dos lucros do capital sem o correspondente aumento dos salários dos trabalhadores, e que as diferenças de salários entre trabalhadores qualificados e não qualificados deixaram de se alargar, ao contrário do que acontecia nos anos 80, numa espécie de ressurgimento da dialética Marxista. Uma das causas para esta situação é, segundo Krugman, o facto de muito do trabalho tecnológico avançado moderno ser realizado por máquinas cujos computadores são fabricados por... robôs - cujo custo por unidade produzida é menor até do que o equivalente aos baixos salários dos trabalhadores asiáticos.

  • Visão Robótica

    Robotizando

    Pedro U. Lima

    A Robótica Industrial, no sentido mais lato do desenvolvimento de robôs pela indústria, para ambientes fabris mas também para uso doméstico, em hospitais e escritórios, e espaços públicos, está a registar um desenvolvimento assinalável nos últimos tempos. As universidades, os institutos de investigação e algumas pequenas e médias empresas nacionais já estão a seguir este caminho. Aguarda-se agora pelas grandes empresas. São elas o motor do desenvolvimento nacional e é delas também a responsabilidade pelo futuro do país.

  • Robôs Secretos

    Robotizando

    Pedro U. Lima

    Rodney Brooks revolucionou a forma de pensar o desenho de robôs inteligentes nos anos 80. E promete revolucionar a forma de fazer robôs para a manufactura. Mas por enquanto ainda é segredo como tenciona fazê-lo.

  • Não Perca a Festa da Robótica em Guimarães

    Robotizando

    Pedro U. Lima

    O Festival Nacional de Robótica regressa à cidade berço... do Festival Nacional de Robótica. A edição 2012 já está a decorrer no Pavilhão Multiusos de Guimarães, e dura até amanhã, dia 15 de Abril.