Siga-nos

Perfil

Expresso

Ócios do ofício

Atentos e muito desconfiados

Mais uma semana agitada a adiar as preocupações com as prendas de Natal. O país vive um momento único, com um ex-primeiro-ministro em prisão preventiva e aquele que foi o principal banqueiro a responder ao Parlamento. Ambos estão indiciados por crimes e ambos apontam para cima quando são confrontados com as ações que lhes são apontadas. Para José Sócrates, investigadores e magistrados concertaram-se para construir uma tese que leva a indiciá-lo por crimes de corrupção, entre outros; para Ricardo Salgado, não fossem as exigências do Bando de Portugal e a má atuação do Governo e o BES ainda hoje seria um grande banco. 

 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI