Siga-nos

Perfil

Expresso

Keynesiano, graças a Deus

Sócrates e Jorge de Burgos

Nicolau Santos

Nicolau Santos

Diretor-Adjunto

José Sócrates já foi julgado politicamente pelo povo português, que em 2009 lhe deu uma maioria relativa, depois de em 2005 lhe ter conferido uma maioria absoluta. E em 2011 arredou-o do poder. Em seguida, Sócrates demitiu-se da liderança do Partido Socialista e não voltou a candidatar-se a nenhum cargo político ou partidário. Devia ser um caso encerrado, mas Sócrates tocou em demasiados interesses, tomou decisões demasiado polémicas, promoveu amigos demasiado controversos e foi um líder tão abrasivo que o seu nome nunca deixou de estar presente na luta política.

 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI