Siga-nos

Perfil

Expresso

E o senhor Subir Lall não diz nada?

Com regularidade trimestral, o senhor Subir Lall desembarca no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, à frente da comissão que vem avaliar o andamento das contas públicas e da economia portuguesa. Com a mesma regularidade, o senhor Subir Lall fala à comunicação social portuguesa, ditando sentenças sobre o que devemos fazer e quão longe estamos de chegar ao paraíso económico que ele imagina para nós.

E assim em Maio deste ano, o senhor Subir Lall veio a Portugal e disse ao Expresso as palavras que fizeram a manchete do caderno de economia: “FMI dá como perdido o défice de 2016”. Acrescentava o senhor Subir Lall que o défice este ano ficaria nos 3% e que o melhor era começar a tomar decisões para 2017, porque quaisquer medidas em 2016 nada resolveriam.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • FMI diz que metas orçamentais do Governo são alcançáveis

    Relatório da missão que esteve recentemente em Lisboa, no âmbito das visitas regulares do Fundo Monetário Internacional (FMI) a Portugal, diz que para 2017 são precisos mais esforços para atingir os objetivos propostos, mais precisamente 700 milhões de euros. Governo já reagiu