Siga-nos

Perfil

Expresso

Terrorismo e economia: a Europa em guerra

  • 333

O dramático e revoltante ataque terrorista em Nice, que fez quase uma centena de mortos e outros tantos feridos, vem demonstrar mais uma vez que a Europa é um continente em guerra, uma guerra diferente das tradicionais, mas que nem por isso deixa de ser uma guerra. E por trás desta guerra diferente vive-se uma outra guerra, a guerra económica, em que também há muitas vítimas.

Nos últimos anos já assistimos a ataques terroristas em Londres, Madrid, na Suécia, na Alemanha e três em França, além da Turquia e Tunísia. O caso mais dramático é o francês. O primeiro atentado foi contra um dos pilares da civilização ocidental, a liberdade de expressão. Comparativamente, os mortos foram poucos, mas o exemplo foi enorme.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Perante o resultados do relatório britânico sobre a guerra do Iraque, temos de responsabilizar os que deliberadamente mentiram aos povos, atiraram a Europa e os EUA para uma aventura irresponsável e com isso criaram o caos na região, facilitando de tal forma a vida aos terroristas que lhes foi possível dominar um território, assemelhar-se a um Estado e ter recursos nunca vistos. Se não se for tão longe, que ao menos não se volte a dar ouvidos aos guerreiros de sofá. Gritar pelas armas é fácil, difícil é lidar com as consequências de escolhas irresponsáveis. O combate no terreno está a ser feito e a sucessão de atentados pode ser sinal do desespero perante as derrotas do Daesh na guerra convencional. As medidas de segurança nunca impedirão todos os atentados. Mas pelo menos devemos uma coisa a nós mesmos: fazer justiça. Perseguir e punir os responsáveis materiais e morais destes crimes, obviamente. E punir os que, conscientes das suas próprias mentiras, acabaram por lhes facilitar a vida

  • Mais de 10 vidas tiradas por dia: os números do terror

    O Expresso recuou até ao verão de 2014, data em que a ameaça do terrorismo global se intensificou, através do surgimento do Daesh (autoproclamado Estado Islâmico). Desde então, uma constelação de grupos levou a cabo 180 ataques em todo o mundo que resultaram em mais de 7000 mortos – mais de 10 pessoas por dia neste período. Esta não é uma lista exaustiva de atentados terroristas, mas a recolha possível dentro dos limites do acesso à informação - e contabiliza o ataque em Nice, esta quinta-feira