Siga-nos

Perfil

Expresso

À espera da retaliação

  • 333

Por estes dias, o país político e económico aguarda, encolhido e resignado, que o Governo de Angola anuncie as retaliações que nos vai impor devido ao caso BPI. Foi a isto que chegámos depois de anos e anos sem conseguir lidar de olhos nos olhos com o grande país africano.

Isabel dos Santos chamou “diploma BPI” a um decreto, aprovado pelo Governo e promulgado pelo Presidente da República, e que transcreve orientações europeias no sentido de serem eliminados os limites aos direitos de voto nas instituições financeiras. Ela o disse e não ouve uma voz autorizada que a viesse contestar. Verdadeiramente, a única voz que se ouviu foi a da administração do BPI, que disse claramente não se rever nos factos relatados por Isabel dos Santos, no ponto em que esta diz que as negociações com o La Caixa não estavam concluídas.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • E agora OPA

    O diretor do Expresso aborda em artigo de opinião a oferta pública de aquisição que o Caixabank espanhol lançou ao BPI e diz que Isabel dos Santos “não é mole, e às hostilidades há de responder com hostilidades”

  • Caso BPI. Empresários receiam consequências: “Portugal é especialista em fabricar incidentes com Angola”

    São frases que lerá neste texto: clima de “guerrilha permanente” entre Portugal e Angola, vocação da comunicação social para “procurar e fornecer sangue”, o caso BPI foi “estupidamente politizado”, “uma situação má pode sempre ficar pior”, “não se pode esquecer como Angola, no caso do BES, nos lixou com os três mil milhões no BESA”. Os empresários portugueses estão apreensivos - alguns mesmo muito preocupados - com as consequências e eventuais retaliações de Angola resultantes do caso BPI. E depositam esperança nas “virtudes” da diplomacia

  • O que diz Isabel

    João Vieira Pereira, diretor-adjunto do Expresso, analisa o comunicado de Isabel dos Santos sobre o caso BPI

  • Maria Luís: Governo não se devia ter metido no BPI

    Vice-presidente do PSD e ex-ministra das Finanças é cautelosa na primeira reação ao falhanço das negociações entre o BPI e Isabel dos Santos. E reitera a posição que Passos já tinha dado conta há umas semanas: “O Governo não deve envolver-se em negociações entre accionistas privados”