Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Do outro mundo

"Já me reformei", e outras desculpas de um funcionário muito bem pago para não ir trabalhar

  • 333

John C. Beale

Luis M. Faria

Era da CIA, e achava-se em serviço no Paquistão. Estava com um ataque de malária, ressaca dos seus velhos tempos de soldado no Vietname. Já se tinha reformado. Estas foram apenas algumas das desculpas utilizadas por um tal John C. Beale para não ir trabalhar.

Beale, alto funcionário de agência responsável do governo americano responsável pelas políticas de ambiente, devia ajudar o governo a combater o aquecimento global (era o principal especialista da agência na matéria), mas preferia gastar o seu tempo em actividades lúdicas e desportivas: bicicleta, leitura, viagens...

Já antes tinha sido repreendido. Uma vez, após uma estadia particularmente escandalosa num hotel de luxo londrino - à custa do público, claro - admitiu que ele próprio tinha ficado indignado (!). Mas agora que todo o catálogo dos seus abusos se tornou público em tribunal, a coisa é mais séria. 

As autoridades estimam em cerca de 900 mil dólares o custo acumulado das fraudes de Beale. A sentença está para breve, e poderá não ser branda.

Beale nunca esteve no Vietname nem contraiu malária. Jamais foi da CIA. E na altura em que dizia estar reformado, ainda lhe faltava bastante tempo para isso. Alguém comentou que a natureza humana não muda com a geografia. Apenas varia de grau.