Siga-nos

Perfil

Expresso

Chamem-me o que quiserem

Isto é estúpido? Claro! Podia não ser? Podia!

Um dos erros mais comuns que por todo o lado se comete é o de não perceber as alterações brutais que a nossa vida está a sofrer. O outro é não querer facilitar a vida dos cidadãos (cada vez mais complexa) por questões menores, ou por falta de iniciativa de quem as pode tomar. E assim chegamos ao assunto que aqui me traz: a 'guerra' ou espécie de 'guerra' entre a CP e a Fertagus.

Henrique Monteiro

Henrique Monteiro

Redator Principal

A CP, como se sabe, é uma empresa pública. A Fertagus (os comboios que vêm da margem Sul e passam a ponte) é uma concessão a privados. O mais longe que a Fertagus chega, em Lisboa, é à estação Roma/Areeiro e queria chegar (segundo noticia o 'Público' de hoje) à Gare do Oriente, escassos cinco quilómetros mais à frente, a fim de que os seus passageiros, apenas com um transbordo, pudessem ter ligação a comboios de longo curso.

 

Para continuar a ler o a artigo, clique AQUI