Siga-nos

Perfil

Expresso

Turquia, quem esperava diferente?

Foi um referendo, mas se não fosse assim seria de outra maneira. Na Turquia não estava, não está e não estará em jogo uma opção, mas sim um desígnio. Esse desígnio passa por recusar um estilo de vida e uma mundividência - a ocidental europeia - e impor outra - a oriental, própria de um sultanato. Quem não viu isto, desde o tempo em que os americanos, por ingenuidade ou perversidade, tiveram a ideia de integrar a Turquia na União Europeia, não conhecia a História

Sim a Turquia é da Nato. E é da Nato porque a Nato lhe conveio muito nos tempos da guerra fria. Agora já não é tão conveniente. Porém, como é da Nato, algumas inteligências pardas da nossa ocidentalidade interrogaram-se: e não poderá ser da União Europeia? A questão era tão absurda que toda a gente percebeu que o era. Foi quando Bruxelas, para não desagradar à Nato e aos americanos, andou a fingir que queria integrar aquele país… mas mais lá para o Verão. Ou seja andou a empatar o tempo suficiente para se tornar tão mal vista que ninguém, ou quase, a defende naquelas paragens.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)