Siga-nos

Perfil

Expresso

O momento Torremolinos de António Costa

Ainda ontem escrevi que todos fizemos coisas que não devíamos. Lamento sinceramente que o primeiro-ministro tenha tido, ontem no Parlamento, um momento desses. É assim como atirar um colchão pela janela ou uma televisão para a banheira. Quando se discutia a inútil questão de ser-se ou não mais duro para Dijsselbloem, Costa disse a seguinte frase: “Todos estamos recordados de quando os representantes do Governo se ajoelhavam para falar com os colegas"

Como estarão recordados, alguns desconhecedores, alguns ignorantes e outros mal-intencionados criticaram fortemente Vítor Gaspar por se dobrar exageradamente ao falar com o seu colega alemão, enquanto este nem se dava ao trabalho de levantar. Depois disso, uma boa parte do país descobriu o que nas primeiras indignações da turba não fora dito: o colega alemão do ministro das Finanças português, Wolfgang Schäuble, é paraplégico. Utiliza uma cadeira de rodas desde que um tiro de um fanático o atingiu num comício do seu partido.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)