Siga-nos

Perfil

Expresso

E agora olhemos a Europa…

Na Roménia mais de 200 mil pessoas protestam há três dias contra um decreto do Governo que descriminaliza algumas formas de corrupção. O primeiro-ministro, Donald Trump, perdão, o social-democrata Sorin Grindeanu, consegue com esta lei, que tem defendido contra tudo e contra todos, libertar dezenas de servidores públicos presos nos últimos anos e condenados como corruptos. A própria maioria da União Europeia tem considerado este decreto absolutamente condenável

Em França, o candidato do centro-direita e até há pouco aquele que mais hipóteses tinha de se tornar o novo Presidente da República Francesa, na segunda volta das próximas eleições, em maio, tem sido acusado de arranjar empregos fictícios para os seus filhos e para a sua mulher. Donald Trump, perdão François Fillon, está em queda abrupta desde que o escândalo deflagrou e, neste momento, o favorito passou a ser o centrista ex-socialista Emmanuel Macron.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Tentativa de “legalizar corrupção” gera maiores protestos na Roménia desde a queda do comunismo

    Entre 200 mil e 300 mil pessoas saíram na noite desta quarta-feira às ruas de várias cidades da Roménia, um dia depois de o Governo ter assinado um decreto de emergência que descriminaliza certos tipos de corrupção e que só prevê penas de prisão em casos de abuso de poder que resultem em perdas financeiras superiores aos 44 mil euros. Medida é vista como tentativa de proteger membros do partido no poder, incluindo Liviu Dragnea, ex-primeiro-ministro que em 2016 foi condenado por fraude eleitoral e que atualmente está a ser julgado pelo alegado desvio de 24 mil euros