Siga-nos

Perfil

Expresso

O equívoco do 1º de dezembro

Naturalmente, sou daquelas pessoas que acho bem ter-se reposto o feriado de ontem, dia 1 de dezembro. Mas não pelas proclamações que foram e têm sido feitas a esse respeito. Eu gosto, sobretudo, de feriados pelo facto de serem feriados. De alguns, poucos, respeito o significado e o símbolo – o Natal, claro, o 25 de Abril e o seu significado de Liberdade, o 1º de Maio e o valor do trabalho, o 10 de Junho como festa nacional. Outros nem sei bem o que querem significar. Já o 1º de dezembro é o único cujo significado me irrita

Na verdade, a data é-nos vendida como se tivesse havido uma rebelião contra Espanha no ano de 1640, o que de facto não se passou. Aconteceu uma conspiração contra a Duquesa de Mântua, nomeada vice-rei por Felipe IV, (III de Portugal) e contra o seu chefe do Executivo, o português Miguel de Vasconcelos. Essa conspiração foi apoiada por potências estrangeiras e teve sucesso porque o rei de Espanha, na mesma época lutava noutra frente contra a independência da Catalunha.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)