Siga-nos

Perfil

Expresso

Marcelo, como quem não ‘marcela’

  • 333

O estilo do nosso Presidente da República é peculiar. Talvez a inteligência que coloca no seu discurso seja inspirada numa daquelas frases manhosas (não me venham com regionalismos!) do Norte, tipo “vai como quem não vai” ou “anda como quem não anda”. Marcelo é assim: “faz como quem não faz”

E que faz Marcelo? Doce, suave, ardilosa, inteligente e divertidamente destrói a confiança no Governo. E consegue destruir a confiança entre aqueles que viram na ‘geringonça a resolução dos problemas do país como dá cabo da própria autoconfiança dos membros do Executivo. Ao mesmo tempo irrita uma direita pouco dada a subtilezas, que preferia o velho cacete para resolver problemas.

Apetecer-me-ia dizer que Marcelo “marcela como quem não marcela”. O estilo dele, desde a velha coluna do Expresso ‘Gente’, passando pelas análises na rádio e televisão, sempre foi esse. Atacar de mansinho e com um sorriso nos lábios.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)

  • Marcelo ao “Die Welt”: “O programa de Costa não está assim tão longe do de Passos”

    Numa entrevista ao influente jornal alemão, o Presidente defende a “geringonça”. Diz que, “até agora, PCP e BE aceitaram a realidade” e que “o programa que implementam não está assim tão longe do que o governo conservador fez”. Marcelo diz, aliás, “não ter a certeza” de que possam caír “hoje ou amanhã”. A Berlim deixa um obrigado: “Há uma falta de gratidão em relação à Alemanha”

  • Azeredo Lopes obriga Marcelo a voar baixinho

    O ministro da Defesa anunciou esta quarta-feira a aguardada modernização dos C-130 através comunicado enviado aos jornalistas por email, no preciso momento em que Marcelo Rebelo de Sousa começava a sua primeira visita à Força Aérea. E quando o Expresso quis saber se o Presidente também pensava que os meios que este ramo das Forças Armadas tem para cumprir as suas missões são insuficientes, Marcelo já não foi tão contundente como na visita à Marinha

  • Marcelo: “O rumo está definido e é um compromisso”

    O Presidente da República evita entrar na polémica dos valores “melhores do que o esperado de terça-feira” e “piores desta quarta-feira”. No fim da visita à Força Área, Marcelo preferiu lembrar que que Governos anteriores já fizeram orçamentos retificativos, que quando “aparecem não são um drama”