Siga-nos

Perfil

Expresso

Seis meses depois… cá estamos…

  • 333

O Governo fez seis meses e alguns comemoraram esse feito como se seis meses fosse, por si só, algo importante. Bem, seis meses é igual a meio ano, a 1/8 de uma legislatura. Não é muito nem pouco, é só o suficiente para se poder ter algumas leituras, e todas elas prudentes

A existência de um Governo dirigido e formado por um partido que não ganhou as eleições é, em si mesmo, um feito. Mas não significa que o mundo tenha mudado ou vá mudar por causa disso. Do meu ponto de vista, quem corre mais riscos nesta operação é o próprio PS e, mais à frente, direi porquê. Para já, esta ideia: no essencial a vida das pessoas não mudou de forma que elas sentissem.

Nestes, como noutros assuntos, é preciso saber distinguir entre a retórica e a realidade. Se às palavras correspondessem atos, todos os nossos Governos tinham sido magníficos e o Governo grego tinha resolvido a crise económica só por existir. Não me lembro de um só Executivo que tivesse admitido ser um falhanço; assim como não recordo a frase em que Tsipras disse qualquer coisa como: afinal isto era mais difícil. Por isso, para além de palavras indignadas ou otimistas; trocistas ou amuadas vejamos o que é este Governo ao fim de seis meses, o que nos deu e o que falhou.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)