Siga-nos

Perfil

Expresso

BPI? Caixa Bank? Isabel dos Santos? E eu com isso?

  • 333

O caso do Banco BPI que envolve o Caixa Bank (catalão) e a Santoro (empresa de Isabel dos Santos, angolana) é extraordinário a vários títulos. Mas, sobretudo, devido a uma pequena questão que me assalta: por que motivo ninguém (ou quase) se interroga sobre como chegámos aqui

Há quem diga que foi Isabel dos Santos a quebrar um acordo. Há quem o negue. A própria diz que o Governo português criou uma “lei sem precedentes e parcial”; o Governo diz que não tinha outra alternativa senão fazer uma lei que desblindasse os votos dos acionistas dos bancos e sociedades financeiras. O Banco de Fomento de Angola, maioritariamente do BPI, de que os principais acionistas são o Caixa Bank, com 44% mas que só pode votar com 20 devido à blindagem, e Isabel dos Santos com cerca de 19% não é aceite como passível de ser cotado numa Bolsa europeia e o Banco de Portugal e o BCE não conferem idoneidade bancária a quem Isabel dos Santos quer colocar no BIC (outro banco em que a Santoro tem interesses maioritários).

Bem sei que isto é alta finança e que a alta finanças não é para pés rapados nem para pessoas de pouco cabedal. É possível que a minha antiguidade não esteja preparada para tanta modernidade. Mas sinceramente espanta-me que uma série de perguntas jamais sejam feitas e respondidas.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)