Siga-nos

Perfil

Expresso

The Panama Papers: para que serve a democracia?

  • 333

Ainda a procissão não tinha saído do adro – na verdade o cortejo de notícias ainda vai demorar muitos meses – já a investigação internacional aos The Panama Papers estava a ser criticada. Porquê? Por se centrar em Putin (caso do jornal ‘The Guardian’) e não nas grandes corporações capitalistas ocidentais

Quem produz tais acusações é Craig Murray, um ex-embaixador britânico no Uzebequistão e bloguista autointitulado ativista dos Direitos Humanos. Como foi contracorrente, o seu texto tornou-se viral (nomeadamente entre jornalista que podem ter uma pontinha de inveja).

Mas que diz Murray? Afirma que não devemos esperar uma denúncia genuína do capitalismo ocidental. Porque o Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação (no Reino Unido, além do ‘The Guardian’ faz parte a BBC; em Portugal o Expresso e a TVI) é subsidiado por uma série de fundações com origens nas mais negras empresas capitalistas, como a Ford, a Carnegie, a Rockfeller, a Kellogg e a ‘Open Society’ (de George Soros). Ou seja, Murray, num contragolpe com a mesma credibilidade que a dele, pode ser acusado de ter subsídios de Putin.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso)

  • Uma introdução à maior fuga de informação de sempre

    Mais de 300 jornalistas examinaram meticulosamente milhões de dados pertencentes à sociedade de advogados Mossack Fonseca para expor uma lista alarmante de clientes envolvidos em subornos, tráfico de armas, evasão fiscal, fraude financeira e tráfico de droga. Trata-se da maior fuga de informação da história - os Panama Papers, que mostram como uma indústria global de sociedades de advogados, empresas fiduciárias e grandes bancos vendem o segredo financeiro a políticos, burlões e traficantes de droga, bem como a multimilionários, celebridades e estrelas do desporto. A investigação é do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação, de que o Expresso é parceiro

  • Todos os homens de Putin: registos secretos revelam rede de dinheiro

    Panama Papers: fuga de informação gigante revela esquemas de crime e corrupção. Nome do presidente russo não aparece nos ficheiros, mas sim o dos seus amigos favoritos, que se referem a Putin por pseudónimos ou dirigindo uma mão aos céus. Documentos descrevem um violoncelista como provável testa de ferro, numa rede clandestina que movimenta entre bancos e companhias offshore mais de dois mil milhões de dólares. A investigação é do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação, de que o Expresso é parceiro