Siga-nos

Perfil

Expresso

O que foi (ou ainda é?) o PS

  • 333

Logo após o 25 de Abril houve uma palavra de ordem do PS que talvez viesse a definir os socialistas durante longos anos. A frase nem é das mais conhecidas, mas é substancial: “Nem pão sem liberdade, nem liberdade sem pão”. No fundo, é uma ideia que se consubstancia no âmago da social-democracia, tal como entendida por alguns dos sucessores imediatos de Marx, como Eduard Bernstein, que recusando a dialética hegeliana, propõe um socialismo por via pacífica fundado no princípio do mercado. “Mercado sempre que possível, Estado sempre que necessário”

Os partidos socialistas democráticos ou sociais-democratas são herdeiros deste pensamento, rejeitando o pensamento revolucionário dos marxistas-leninistas, trotsquistas e maoístas. A divergência não é de somenos, pois onde uns querem uma transição pacífica, assente na propriedade privada e na redistribuição da riqueza pelo Estado, os outros querem a apropriação da riqueza pelo Estado e a propriedade coletivizada.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI