Siga-nos

Perfil

Expresso

Aparelho de Estado

Tolerância de ponto, obviamente

A laicidade do Estado não pode ser uma força de oposição às religiões toleradas.

Vasco M. Barreto (www.expresso.pt)

A visita de Bento XVI a Portugal tem enorme relevância social e mobilizará dezenas de milhares de pessoas. Nenhum outro líder religioso seria capaz de fazer uma visita com o mesmo impacto. Logo, ao dar tolerância de ponto exclusivamente à visita do Papa e não à visita do simpático Dalai Lama, como não daria a hipotéticas visitas do maluco do pastor Pat Robertson ou do aldrabão que gere dos negócios da Igreja Universal do Reino de Deus, o Governo prova que é sobretudo sensível à dimensão social do evento e que a dimensão religiosa não é razão suficiente para justificar a tolerância de ponto. O argumento não chega sequer a ser tortuoso: não dar tolerânca de ponto é que seria uma demonstração de falta de laicismo. Afinal, o laicismo maduro quer-se magnânimo e não ressabiado. Trivial.

Mas se dúvidas ainda houvesse, o simples facto de o patronato e os sindicatos se unirem a uma só voz contra esta tolerância de ponto é esclarecedor. Quando inimigos viscerais estão de acordo, ou a posição é uma lapalissada - creio que Carvalho da Silva e Francisco Van Zeller defenderão que o movimento do Sol em torno da Terra é aparente - ou então estão errados. Enfim, esta é uma regra que admite excepções, mas serve como princípio norteador.

Por fim, desafio os leitores a imaginar um outro acontecimento extraordinário mais merecedor de tolerância de ponto do que a visita de um Papa a um país de cultura esmagadoramente católica. Como é pouco provável que se lembrem de algum, quem está contra esta tolerância de ponto só pode estar contra todas as tolerâncias de ponto extraordinárias (não incluo as habituais). Não é uma posição insustentável, mas remeter-nos-ia para outra discussão.

Infelizmente, nós, os ateus não praticantes, acabamos por ser oficiosamente representados pelos ateus militantes, que nestas alturas tendem a fazer demasiado barulho.