Siga-nos

Perfil

Expresso

Aparelho de Estado

Congresso flat para agistar coelhinhos

Quando o país assiste estupefacto à evolução de mais uma história de uma negociata mal explicada realizada nos últimos 10 anos (onde a grande novidade é, até ver, Sócrates não aparecer envolvido) o novo líder do PSD foi aclamado no congresso de Carcavelos, que esteve sempre flat.

Tiago Mota Saraiva (www.expresso.pt)

Dezenas de horas de directos e centenas de linhas perdidas, demonstraram a exaltação com que os fazedores de opinião acolheram Passos Coelho na eminência de primeiro destacar aquela que, de acordo com o que parece estar escrito nas estrelas, será o próximo primeiro ministro.

O discurso de Passos Coelho é absolutamente vazio e desfocado. A profundidade das suas propostas circunscrevem-se aos 3000 caracteres que os jornalistas têm para martelar. Coelho irá continuar a lançar "propostas" fazendo parecer que tem uma agenda própria, produzindo notícias banais e, tal como fez com Ferreira Leite, esperando que o governo de Sócrates caia de podre.