Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

100 reféns

Um idiota americano contra o aborto

  • 333

Tiago Mesquita (www.expresso.pt)

Todd Akin é um congressista republicano. Todd Akin é candidato ao senado norte-americano. Todd Akin é um idiota. Tudo isto misturado deu no que deu. Resumindo:

"Todd Akin, próximo dos conservadores do Tea Party, estava a dar uma entrevista à estação de televisão KTVI-TV quando foi questionado sobre a sua posição contra o aborto, sem qualquer excepção, nem mesmo quando a gravidez resulta de uma violação. "Parece-me, pelo que sei dos médicos, que isso é muito raro. Se for uma legítima violação, o corpo da mulher tem formas de tentar resolver essa questão" Público

Há varias maneiras de defendermos uma causa. A argumentação sustentada costuma ser, tradicionalmente, uma forma eficaz de se fazer a coisa. Todd Akin é contra o aborto, seja em que circunstâncias for que a gravidez ocorra. Ou seja, é garantido ( diz ele, pelo menos) que qualquer um dos milhões de espermatozoides que saiam de Akin têm a garantia de que terão uma oportunidade não na vida, mas de gerar vida, custe a quem custar. Akin seria contra o aborto mesmo que um bandalho violasse a sua esposa ou filha repetidamente e este acto repugante gerasse uma vida. Até porque o corpinho de Mrs. Akin trataria, segundo conhecimentos médicos de que diz dispor, de rejeitar veemente os espermatozoides do criminoso. O óvulo seria informado de que, apesar da violação ser "legitima" (o que raio quer isto dizer?) o processo deveria ser arquivado pelo organismo, sem fecundação. "Houston, we have a problem. This sperm is not Akin material". E pronto, não seria necessário recorrer ao aborto, a natureza e a sabedoria da medicina tradicional e conservadora ao serviço da estupidez humana em geral e do Tea Party em particular resolveriam a questão.

Não fosse desde sempre a favor da interrupção voluntária da gravidez - que sou, e indiscutivelmente nos casos de violação (que nem deveriam dar azo a opinião discordante em qualquer parte do mundo civilizado), teria passado a ser pró-aborto após as declarações de Akin. Esta figurinha ter-me-ia convertido a favor de uma causa contra a qual diz lutar. A criatura conseguiu, com uma visão abstrusa da realidade, criar uma legião de fãs a favor da interrupção da gravidez. Não quero viver num mundo habitado por pequenos Akins, seres profundamente ignorantes e hipócritas. Pessoas como Akin, com ideais extremistas e demagogos, deveriam não só ser impedidas de exercer cargos de poder que mexem com a vida - literalmente - de milhares (disso se encarregará a democracia) mas de educar seja quem for com este tipo de discurso irascível sob pena de termos um futuro de mentes imbecis a liderarem o mundo, ou parte dele.

Na página oficial do 100 Reféns no Facebook juntam-se pessoas que gostam e que não gostam, que odeiam e que adoram, que veneram e que detestam, mas que não são indiferentes a este blogue do Expresso. Dê um passo e junte-se a nós. Clique no link para aceder à página do 100 Reféns no Facebook.