Siga-nos

Perfil

Expresso

100 reféns

Figo deu uns toques pelo PS via Taguspark

Numa campanha eleitoral em Portugal é mais importante ter o apoio de um futebolista conhecido do que de alguém reconhecido do mundo politico. O PS sabe e Luís Figo sabia-o quando aceitou tomar o pequeno-almoço com José Sócrates. O jogador comeu. O político ganhou.

Tiago Mesquita (www.expresso.pt)

Portugal tem a péssima tradição tipicamente latina de misturar política e futebol. E quase sempre que acontece o resultado é alguém acabar a jogar à bola com os reclusos do Estabelecimento Prisional da área de residência. Há coisas que não se devem misturar. Nunca.

Como o Expresso Online noticiou ontem, Figo terá alegadamente concedido o seu apoio público ao PS e a José Sócrates a troco de um contrato de três anos pago pela Taguspark S.A, que como se sabe é uma empresa de capitais públicos. Ou seja, não deveria andar por aí a financiar lutas partidárias. E se de repente toda a gente que fizer um contrato com a Taguspark quiser tomar o pequeno-almoço com o Primeiro-Ministro?

Resultado: três administradores do Taguspark acusados de "corrupção passiva para acto ilícito", entre os quais quem? Rui Pedro Soares. Está em todas. Da PT à Taguspark. Do Largo do Rato a Oeiras. Ninguém o pára. Um verdadeiro Messi apontado às balizas sem rede da Gestão e Administração Pública.

O incrível é que os dois maiores beneficiários desta situação tomaram serenamente pequeno-almoço no último dia de campanha para as legislativas, o Breakfast não foi no Tiffany´s mas no Altis de Belém, e vão sair incólumes de tudo isto. Figo com mais algum na conta e com uma tosta mista no bucho. O secretário-geral do PS (Primeiro-Ministro após digestão) José Sócrates com uma torrada e um galão no estômago e umas eleições legislativas no bolso. Obviamente que não foi Figo que deu a vitória ao PS, mas com um jogador destes a jogar numa das alas o espectáculo é sempre mais bonito. E o adepto de futebol gosta de chicuelinas. Sejam políticas ou futebolísticas.

No final do repasto o Primeiro-Ministro deixou claro que "Luís Figo foi um dos heróis da minha geração". Que bonito. Eu também gostava de pagar uma tosta mista ao Madjer mas duvido que a Taguspark vá na conversa. Já Figo disse que "neste momento um cargo no Governo não é uma pasta que tenha em mente". Uma pena Luís porque tenho a certeza que Portugal anseia por um Ministro das Finanças capaz de gerar tanta receita.

Já sobre o apoio a José Sócrates disse que foi "unicamente pelas minhas convicções". Claro que sim, o dinheiro da Taguspark foi para atravessar a A5 toda a dar toques numa bola de ténis enquanto tocava a internacional socialista.

Figo foi ilibado porque desconhecia que a Taguspark fosse uma empresa com capitais públicos. José não foi ilibado porque não tinha que ser, estava só de passagem pelo Altis, não era Secretário Geral do PS, não era candidato a Primeiro-Ministro pelo PS, não sabia que a Taguspark tinha feito um contrato com Figo através de Rui Pedro Soares, não sabia que Figo o queria apoiar publicamente como socialista que é desde pequenino e principalmente não fazia a menor ideia que ele gostava de tostas mistas.

Aqui fica o video da carinhosa troca de mimos ainda a cheirar a torradas e compota de morango: