Siga-nos

Perfil

Expresso

100 reféns

As gasolineiras continuam a gozar connosco

O governo PS já teve más decisões, boas decisões, péssimas decisões, algumas não decisões e teve ainda decisões que eu aplaudo de forma veemente pela sua originalidade, inovação e boa disposição.

Tiago Mesquita (www.expresso.pt)

Uma das decisões que apraz registar foi a de, através de um decreto-lei de Julho de 2008, obrigar as gasolineiras a publicitarem nas auto-estradas os preços praticados nas estações de serviço usando para o efeito painéis electrónicos.

Visava esta medida "proteger" o consumidor, dando-lhe hipótese de escolher a bomba que praticasse melhores preços comparativamente. Por outro lado pretendia afastar-se o incómodo fantasma da concertação de preços entre gasolineiras dando a ideia de que a autoridade da concorrência estaria a trabalhar bem nesta matéria. Pois sim.

Inevitavelmente iríamos chegar todos à conclusão que a alegada combinação de preços entre empresas do mesmo ramo não passa de um mito urbano.Nenhum preço no painel coincide até ao último cêntimo. Nenhum. Tudo diferente. Esperem lá que eu estava a ver isto ao contrário e sem óculos. Afinal até são parecidos. São iguais?! Agora perdi-me...

Mas a AdC tem resposta para isto: A Autoridade da Concorrência (AdC) considera que a existência de painéis nas auto-estradas com os preços iguais em várias bombas de marcas concorrentes "não constitui, por si só, uma prova de concertação ilícita entre operadores". in JN

Pois não, nada mesmo. Aliás as conveniências, perdão, as coincidências existem. E tenho a certeza absoluta que os senhores que fazem a regulação e acompanhamento dos preços praticados pelas gasolineiras chegarão a uma destas brilhantes conclusões se porventura um dia entrarem nas suas casas e virem a sua própria mulher a tomar banho de imersão com o senhor que costuma estar junto à piscina do condomínio a aparar a relva. "Mera coincidência" dirão.

Afinal de contas a água é um bem escasso, há que poupar e onde cabe um, dois tomam banho. O senhor Eliseu pareceu sempre ser uma pessoa inocente, educada e cordial. Incapaz de "concertar" ou "inserir" o que quer que fosse onde não deve, muito menos com o consentimento e conivência de esposa alheia.

E o facto da Sra. parecer extremamente feliz quando surpreendida é "apenas circunstancial", e como o próprio senhor tão bem diria quando ao serviço da AdC: "não constitui, por si só, uma prova de concertação ilícita entre operadores". Mesmo que o Eliseu se esteja a rir como um painel electrónico.Mas acrescenta que "a AdC não deixará de actuar, de acordo com os seus poderes sancionatórios, sempre que, nos termos da lei, se vier a justificar".

O fiel jardineiro agradece e as gasolineiras também.