Siga-nos

Perfil

Expresso

Telegramas da saída limpa

Ricardo Costa

Ricardo Costa

Diretor de Informação da SIC

Ainda há lugar para Beyoncé no Ramalhete?

Um dos problemas de estar na moda - e, já agora, de oferecer estupendas isenções fiscais - é obrigar a gerir coisas pouco habituais e, ainda por cima, ter de o fazer à vista de todos. Acontece aos porteiros de discotecas famosas, aos gerentes de restaurantes da moda onde não se arranja mesa e, genericamente, a todos os que gerem bem escassos com grande procura e holofotes ligados. E agora acontece aos autarcas...

Não sei se Fernando Medina alguma vez foi barrado à porta do Frágil dos velhos tempos. Aconteceu-me varias vezes, o que não foi um problema porque nas redondezas havia muito onde “estacionar” para beber copos. Não era a mesma coisa, a música era pior, o ambiente... enfim, mas servia e, sobretudo, era mais barato. Ou seja, a discricionaridade é sempre discutível, mas tem uma relação especialmente perigosa com a falta de alternativa. Se existe alternativa, é a vida. Se não existe, é um problema.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido