Siga-nos

Perfil

Expresso

Telegramas da saída limpa

Ricardo Costa

Ricardo Costa

Diretor de Informação da SIC

Cristas sonha, os votos nascem?

As razões pelas quais o CDS vive um bom momento são exatamente as mesmas pelas quais o PSD está num impasse profundo. Na ressaca das eleições de 2015, Paulo Portas percebeu depressa o que aí vinha, compreendeu que estávamos perante uma alteração estrutural da lógica parlamentar e que isso ia ter implicações profundas na discussão sobre maiorias absolutas e voto útil. Mais importante, percebeu que a legislatura se podia cumprir e foi por isso que decidiu sair.

O PSD ficou demasiado tempo preso à ideia de que o ciclo político ia ser curto e apostou demasiado nisso. Desvalorizou as autárquicas, à espera de umas legislativas antecipadas que nunca chegaram. E isso acabou por ser fatal a Pedro Passos Coelho, que, em circunstâncias normais, teria tido todas as condições para se apresentar às próximas eleições.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)