Siga-nos

Perfil

Expresso

A Tempo e a Desmodo

A culpa é da Grécia, não da Alemanha

Os gregos são os maus da fita, não os alemães. É bom lembrar a Grécia aumentou os funcionários públicos em cerca de... 100% entre 2004 e 2009. Atenas fez a cama onde agora está deitada.

Henrique Raposo (www.expresso.pt)

I. Anda por aí um irracional, e perigoso, populismo anti-Alemanha. Ouve-se e lê-se, vezes sem conta, coisas como "ai, a Alemanha não quer ajudar os mais pobres, como a Grécia". A imprensa e a TV dedicam mais tempo às queixas dos gregos contra a Alemanha do que à análise dos erros da Grécia. Parece que não interessa perceber que a crise grega é um resultado da tremenda irresponsabilidade política dos dirigentes gregos.

II. A União Europeia não pode servir para inverter as responsabilidades. A UE não pode servir para uns gastarem e outros (i.e. a Alemanha) pagarem. A malta que gosta de culpar a Alemanha e de desculpabilizar a Grécia devia olhar para estes números (gentileza de Camilo Lourenço): entre 2004 e 2009, a Grécia aumentou o número de funcionários públicos em cerca de 50%; nesse mesmo período, os salários/benefícios da função pública foram aumentados cerca de 100%. Ou seja, nos últimos anos, a Grécia viveu num mundo à parte, gastando o que tinha e o que não tinha de uma forma que só pode ser apelidada de irresponsável.

III. Perante esta irresponsabilidade política de Atenas, por que razão os nossos media só falam da malvada Alemanha? Por que razão não somos capazes de criticar, sem piedade, os gregos? Os gregos são inimputáveis? Os povos mediterrâneos são inimputáveis, logo, transferimos a nossa culpa para a Alemanha?