Siga-nos

Perfil

Expresso

Daenerys é Ana

Na mitologia da Guerra dos Tronos, Daenerys Targaryen representa duas revoluções morais (e bíblicas). Em primeiro lugar, a rainha diz que os filhos não são responsáveis pelos crimes dos pais; um filho não pode ser julgado pelo mal cometido pelo pai. O pecado não é transmissível, não é familiar e coletivo, é pessoal.

Nos primeiros livros da Bíblia, o pecado é coletivo, familiar, tribal, só depois é que surge a compreensão de que o pecado é pessoal e intransmissível. Daenerys Targaryen representa essa mudança. Tyrion não deve ser criticado só porque o seu pai era terrível; Jon não deve ser amado só porque o seu pai era honrado.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)