Siga-nos

Perfil

Expresso

A esquerda snobe e o povo

A esquerda perdeu o povo. Era impossível manter a coligação entre os colarinhos azuis e os hippies, hipsters e demais hips da esquerda pós-moderna. Os números falam por si: a seguir à II Guerra, o Partido Democrata representava 66% do colarinho azul; em 1964, a percentagem estava nos 55% e em 1980 era apenas de 35%; neste momento, a percentagem só pode ser ainda mais baixa. O “trabalho” deixou a esquerda e refugiou-se num nacionalismo de direita que recupera o proteccionismo da velha esquerda.

É assim nos EUA e em França. Mas porque é a esquerda abandonou o seu povo trabalhador? Porque o trabalhador branco, cristão e patriota passou a ser o único alvo possível para a sátira. Não se pode gozar com gays, negros, ciganos, transexuais, muçulmanos, golfinhos, mas já se pode gozar com o hillbilly ou redneck.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)