Siga-nos

Perfil

Expresso

A mentira de Vieira da Silva

  • 333

O objectivo da linguagem do poder é a mentira. Não lhe chamem ocultação, dissimulação ou sonsice. É mentira. A linguagem política foi, é e será sempre pensada para transformar banha da cobra num elixir dos deuses. Todos os políticos querem manter certas realidades no ângulo morto da sociedade. O objectivo até pode ser benigno, eles até podem pensar com sinceridade que não se pode dizer tudo à população, mas não deixa de ser mentira. O trabalho do intelectual, jornalista ou escritor é o exacto oposto.

A sua tarefa é desafiar a novilíngua do poder, tentando diminuir a distância entre o discurso político e os factos incómodos. Neste departamento, há mentiras e mentiras. Há a mentirinha sonsa e depois há a mentira que desafia a lei da gravidade, tornando-se assim na grande inimiga do debate público. Uma sociedade que se diz livre não pode assumir que pairará como uma pena se resolver saltar de um avião em pleno voo. Mas é neste ponto que está Portugal, sobretudo na questão das pensões de reforma.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)