Siga-nos

Perfil

Expresso

Olhemos para Sarah Palin, não para Trump

  • 333

O filme da HBO “Game Change” ilustra o actual dilema da direita americana, cada vez mais dividida entre populistas que fazem lembrar os confederados sulistas e os conservadores republicanos que herdaram o partido de Lincoln.

O filme conta a história da ascensão de Sarah Palin em 2008 enquanto parceira de John McCain na corrida presidencial. O retrato de Palin não é panfletário, não recorre à demagogia “liberal”, é uma fotografia cirúrgica, até porque Julianne Moore é irrepreensível na interpretação da governadora do Alasca. Palin não é aqui uma conveniente caricatura, qual monstrinho do Alasca, porque a abordagem não é moralista, é factual.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)