Siga-nos

Perfil

Expresso

Devemos ressuscitar espécies extintas?

  • 333

Júlio Verne funcionou como o João Baptista da ida à Lua, isto é, a sua literatura abriu espaço mental para o advento da ciência. Será que o cinema do século XX poderá funcionar da mesma forma? Por exemplo, será possível realizar a fantasia do Parque Jurássico - clonar dinossauros? A nossa capacidade científica será capaz de recriar um animal há muito extinto, enganando assim o relógio da natureza?

Segundo uma especialista, Beth Shapiro, tudo depende do tempo que tencionamos devolver a Chronos. Milhões de anos não dá, é um roubo panamiano, é uma offshore cronológica que Ele nunca permitirá. Contudo, talvez seja possível fazer contrabando com uns milhares de anos. Por outras palavras, não podemos clonar dinossauros, mas talvez seja possível clonar mamutes, por exemplo.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso)

  • Agora já podemos saber mais sobre os 96% que desconhecemos do Universo

    Cem anos depois de previstas pela teoria da relatividade geral de Einstein, as ondas gravitacionais foram detetadas pela primeira vez pelo LIGO, um conjunto de detetores americanos terrestres, na colisão de dois buracos negros a mais de mil milhões de anos-luz da terra. “As ondas gravitacionais eram a procura mais longa e persistente da História da Ciência.” Abriram-se as portas da redescoberta do Universo, do qual só conhecemos 4%