Siga-nos

Perfil

Expresso

Trump e Lincoln não cabem na mesma sala

  • 333

Mesmo nos EUA, há muita gente que esquece um pormenor decisivo: Lincoln estava à direita; o pai re-refundador da República criou o atual partido republicano (GOP), uma aliança de princípios e interesses que defendia a primazia da União federal e a contenção ou fim da escravatura. Ou seja, o partido republicano foi sempre o partido dos direitos civis. O partido democrata é que representava o sul confederado, esclavagista (século XIX) e segregacionista (século XX).

Há cinquenta anos, tudo mudou graças à acção do verdadeiro Kennedy do século XX americano: Lyndon Johnson. JFK tem a boa imprensa, o mito e Marilyn, mas foi Johnson quem mudou de facto a América quando assinou a lei que acabou com a segregação racial (1964). A grandeza moral é reforçada pela coragem política: ele sabia que o seu partido, o partido democrata, iria perder para sempre o território original, o sul.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso)

  • Cruz dificulta vida a Trump no Wisconsin e Sanders volta a derrotar Clinton

    Nova etapa das primárias norte-americanas para definir os candidatos à presidência não surpreendeu e veio baralhar ainda mais as contas. Possibilidades de uma convenção republicana sem um vencedor definido à partida são cada vez maiores. Hipóteses de Bernie passar a perna à ex-secretária de Estado e conseguir a nomeação democrata continuam a ser reduzidas mas fosso que os separa está a estreitar-se

  • O aborto matou a candidatura de Donald Trump?

    Alguns vaticinam que sim, depois de o líder da corrida à nomeação republicana ter sido obrigado a voltar atrás nas suas promessas de ilegalizar as interrupções de gravidez e de prever na lei punições para as mulheres que o pratiquem. Esta noite há primárias no Wisconsin com um vencedor antecipado. Esse vencedor não é Trump e, para gáudio de (quase) todos, isso aumenta as probabilidades de uma convenção aberta em julho

  • Recuo de Donald Trump e Ted Cruz aumenta rebuliço entre os republicanos

    Aspirantes à nomeação republicana voltam atrás nas promessas de apoiarem o nomeado do Grand Old Party (GOP) para disputar as presidenciais de novembro. No mesmo debate informal esta madrugada, Trump defendeu o seu assessor, detido por agressão, dizendo que a jornalista que o acusou foi retirada de um evento porque "podia ter uma bomba"