Siga-nos

Perfil

Expresso

Assim que Soares se calou, o PS naufragou

  • 333

Porque é que Soares está calado? Porque é que não comenta o suicídio do seu partido? Provavelmente, a velhice já não lhe permite pensar, falar ou escrever. Mas apetece-me dizer que, caso estivesse na plenitude das suas capacidades, o velho leão estaria agora a fazer mea culpa em relação ao frentismo de esquerda que patrocinou nos anos troika. É que esse frentismo da Aula Magna - agora consagrado pelo kamikaze Costa - está a destruir o trabalho que Mário Soares fez durante toda a vida, está a destruir o soarismo enquanto charneira do regime, enquanto barreira higiénica contra comunistas ( PCP e Bloco de Esquerda; esquecemo-nos demasiadas vezes que os bloquistas são comunistas).

Durante décadas e décadas, Soares construiu esse muro entre esquerda democrática e esquerda comunista. O primeiro tijolo data do tempo da oposição ao Estado Novo. Cunhal queria impor uma oposição unida em redor da liderança do PCP e quem desafiasse esse frentismo era evidentemente um fascista infiltrado. Antes de 1974, Soares lutou sempre contra esta opressão comunista no perímetro da oposição. As eleições de 1969 foram talvez o marco histórico desta guerra civil entre esquerdas, que depois rebentaria no PREC.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI